Mais de 1 bi de vacinas anticovid devem ter sido desperdiçadas
Redação - BBC News Mundo
Mais de 1 bi de vacinas anticovid devem ter sido desperdiçadas

Um levantamento realizado pela Airfinity, empresa que coleta e fornece dados sobre questões relacionadas à saúde, estima que o número de vacinas contra a covid-19 que devem ter sido desperdiçadas é estimado em 1,1 bilhão.

A empresa disse ter considerado uma taxa de desperdício de 10% a partir de junho de 2021 e ter considerado a vida útil das doses em 6 meses.

A Airfinity ainda coletou relatórios públicos de desperdício de vacinas em todo o mundo. Esses documentos apontam que houve uma perda de pelo menos 158 milhões de doses, mas não especificam os fabricantes das vacinas descartadas.

Os relatórios que incluem os fabricantes dos imunizantes apontam que a Sputnik V, da Rússia, lidera o ranking de vacinas desperdiçadas, com mais de 25 milhões de doses não utilizadas. Em seguida aparece a AstraZeneca, com 19 milhões.

“Apesar dos melhores esforços dos países para evitar o desperdício, algum grau é inevitável”, disse Matt Linley, diretor de análise da Airfinity.

Segundo Linley, o uso de frascos multidoses e a temperatura requerida para o armazenamento dos imunizantes são fatores que influenciam o desperdício. Ele ainda falou da dificuldade de prever a quantidade de pessoas que serão vacinadas diariamente, que pode fazer com que “um frasco seja descartado ou deixado fora [do congelador] por muito tempo”, inviabilizando sua utilização.

“Vacinas em frascos de dose única com uma vida útil mais longa, que podem ser transportados e armazenados com mais facilidade, reduzirão o desperdício ao longo do tempo”, disse. “O acordo mais recente da Pfizer/BioNTech com os EUA inclui doses únicas, uma novidade para as vacinas anticovid.” Linley afirmou ainda esperar que a compra de frascos com somente uma dose seja “repetida por outras nações”.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários