Insuficiência renal: conheça as causas, os sintomas e as formas de tratamento
Redação EdiCase
Insuficiência renal: conheça as causas, os sintomas e as formas de tratamento

Doença que atinge o funcionamento dos rins pode ser classificada em aguda e crônica

Os rins têm importante papel no funcionamento do corpo. Ele é responsável, entre outras funções, por filtrar o sangue para eliminar as substâncias como sódio, potássio, magnésio e cálcio. A insuficiência renal, por exemplo, é uma condição na qual esses órgãos ficam incapazes de desempenhar essa função. Além disso, ela pode ser classificada de duas formas: aguda ou crônica.

“A aguda geralmente é aquela que faz o rim perder a função de forma rápida e transitória, a crônica é aquela que faz o rim perder função em caráter paulatino, duradouro, até o paciente chegar em fases terminais necessitando de hemodiálise – terminal para o órgão, não para a vida”, esclarece o nefrologista André Luis Baracat, nefrologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo. Segundo ele, a insuficiência renal aguda geralmente acontece dentro de instituições hospitalares.

Pedras nos rins: conheça as causas, os sintomas e as formas tratamento

Sintomas da insuficiência renal aguda

O urologista Luiz Renato Montez Guidoni cita os principais sintomas da insuficiência renal aguda. Veja:

  • Retenção de líquidos, causando inchaço nas pernas , tornozelos ou pés;
  • Sonolência;
  • Falta de apetite;
  • Falta de ar;
  • Fadiga;
  • Confusão mental;
  • Náusea e vômitos;
  • Convulsões ou coma, em casos graves;
  • Dor ou pressão no peito.

Tratamento da insuficiência renal aguda

Para tratar a insuficiência renal aguda é preciso tratar a doença ou a condição médica que causou a perda renal. “Com uso de medicações, hidratação adequada e possivelmente realização de hemodiálise temporariamente”, explica o urologista.

Raiva: conheça uma das doenças infecciosas mais letais

Sintomas da insuficiência renal crônica

Luiz Renato Montez Guidoni também cita os principais sintomas da insuficiência renal crônica. Veja:

  • Mal-estar geral e fadiga;
  • Coceira generalizada e pele seca e pálida;
  • Anemia;
  • Dores de cabeça;
  • Perda de peso não intencional;
  • Perda de apetite;
  • Náuseas;
  • Pele anormalmente clara ou escura;
  • Dor nos ossos;
  • Sonolência e confusão;
  • Dificuldade de concentração e raciocínio;
  • Dormência nas mãos, pés e outras áreas do corpo;
  • Espasmos musculares ou cãibras;
  • Mau hálito;
  • Fácil aparição de hematomas, hemorragia ou sangue nas fezes;
  • Sede excessiva;
  • Soluços frequentes;
  • Baixo nível de interesse sexual e impotência;
  • Interrupção do período menstrual;
  • Distúrbios do sono, como insônia, síndrome das pernas irrequietas e apneia noturna;
  • Inchaço de mãos e pernas;
  • Vômitos, normalmente pela manhã.

> Alergias durante o inverno: veja como combatê-las

Tratamento da insuficiência renal crônica

O tratamento da insuficiência renal crônica é feito com diálise peritoneal ou hemodiálise e transplante renal. É possível ter uma vida normal e saudável com apenas um rim. Isso porque precisamos de apenas 1/3 de um dos rins para vivermos sem problemas.

“Um rim saudável é aquele que consegue filtrar em média 180 litros de sangue por dia, esses 180 litros de sangue por dia, bombeados pelo nosso coração, desencadeiam a produção em média de 2 litros e meio a 3 litros de urina, para aquelas pessoas que se mantêm hidratadas e não fazem uso de nenhum tipo de diurético”, descreve o nefrologista André Luis Baracat.

Para verificar a saúde do rim, o ideal é realizar exame de creatinina, que avalia todo o funcionamento do órgão.

Confira mais conteúdos na revista ‘Cuidando da saúde’

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários