Entenda as causas da ansiedade durante a gravidez
Redação EdiCase
Entenda as causas da ansiedade durante a gravidez

Médica explica que o excesso de informações relacionadas ao parto pode aumentar a preocupação das gestantes

Por médica Viviane Lopes

Além de muitas mudanças físicas, ocorrem também inúmeras mudanças emocionais, sensações e vivências entre o dia em que se recebe a notícia de uma gravidez até o nascimento de um filho. Este é um tempo de espera… muita espera… Ato com o qual as mulheres não estão mais acostumadas… Afinal, no mundo moderno as mudanças e informações estão cada vez mais velozes, e tudo gira muito rápido à nossa volta. Ninguém tem tempo a perder.

Velocidade das informações durante a gestação

As grávidas são pessoas à espera de serem mães. E isso gera muita ansiedade e angústia. Soma-se a isto o incrível aumento das informações que o avanço da tecnologia na área médica proporcionou. Hoje, podemos acompanhar e saber sobre o desenvolvimento de um feto a cada semana e perceber suas mudanças ao longo da gravidez. Podemos até estabelecer um padrão comportamental através de ferramentas avançadas como a tecnologia 4D dos aparelhos de ultrassom.

Isto é fantástico! Afinal, é compreensível que a mulher moderna queira todas as informações possíveis e imagináveis de um serzinho que está crescendo e se desenvolvendo no claustro de seu útero, mas longe dos seus olhos. Contudo, a possibilidade de obter cada vez mais informações acerca da gravidez também traz consigo muita ansiedade.

> 11 nutrientes importantes para consumir durante a gravidez

Período de muitas expectativas e ansiedade

As preocupações se iniciam desde as primeiras semanas de gravidez até o parto, momento em que impera a preocupação e a expectativa que tudo dê certo, para finalmente ter o bebê nos braços.

No primeiro ultrassom já queremos ouvir o batimento do embrião, que muitas vezes tem apenas 5 mm de comprimento. Este som acalma nossos corações… Mas é só o início de uma quantidade imensa de exames no período pré-natal, e de uma jornada na qual as grávidas experimentam incontáveis vezes sentimentos de aflição e ansiedade diante de uma possível notícia inesperada.

> Veja como diminuir o estresse durante a gravidez

Diferentemente do passado

Assim, antigamente essa angústia era justificada por não saber nada sobre o feto até o parto, pois não havia tecnologia suficiente. Todas as informações sobre este novo ser eram obtidas somente após o nascimento, que por si só já é um evento estressante. Já nos dias de hoje, existe a disponibilidade de uma incrível quantidade de informações no período pré-natal; o que também gera uma carga enorme de preocupações e ansiedade.

Ou seja, a grávida é um ser ansioso, sim. Mas convenhamos: não é sem motivos! Este é o mundo emocional da grávida. Compreendê-lo é o primeiro passo para ajudá-las.

Viviane Almeida de Alcantara Lopes

Possui graduação em Medicina pela Universidade de Brasília (1999). É mestre em ciências pelo Departamento de Obstetrícia da Universidade Federal de São Paulo. Tem experiência na área de Obstetrícia, com ênfase em Medicina Fetal .

Veja mais conteúdos na  revista ‘Saúde e Bem-estar’

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários