Tamanho do texto

Até o momento, oito macacos foram encontrados mortos na capital mineira, o que pode ser um primeiro sinal de transmissão da infecção aguda na região

Parque das Mangabeiras, na capital mineira, receberia shows do carnaval antes de ser fechado por conta da febre amarela
Divulgação
Parque das Mangabeiras, na capital mineira, receberia shows do carnaval antes de ser fechado por conta da febre amarela

O Parque das Mangabeiras, localizado na região centro-sul de Belo Horizonte, foi fechado nesta quinta-feira (23) por tempo indeterminado por conta de mortes atípicas de macacos no local. Este pode ser o primeiro sinal de transmissão de febre amarela na região.

LEIA MAIS: Carnaval também exige cuidados contra a febre amarela, alertam especialistas

A prefeitura também alterou o local dos shows que ocorreriam no parque durante o carnaval. Para alguns dias do evento, os ingressos estavam até mesmo esgotados. A medida foi tomada pelo risco de contágio de  febre amarela pelo público.

Belo Horizonte também anunciou o fechamento do Mirante das Mangabeiras, do Parque da Serra do Curral e do Parque Jacques Cousteau. Até o momento, oito macacos foram encontrados mortos na capital mineira. Ao menos um deles já teve resultado positivo para a infecção aguda.

Alguns moradores da cidade chegaram a ser hospitalizados com suspeita da doença, mas todos haviam viajado para a região mais afetada pelo surto. A capital não tem registros de transmissão do vírus para humanos.

Transmissão em áreas urbanas

Atualmente, só os mosquitos silvestres Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus no País. Os macacos são os principais hospedeiros, mas se uma pessoa não vacinada acaba entrando em contato com um mosquito contaminado pode ficar doente também.

LEIA MAIS: Vacinas contra gripe serão enviadas aos estados em abril

Outra preocupação das autoridades é que o vírus retorne aos centros urbanos e passe a ser transmitido também pelo Aedes aegypti , o mesmo da zika, dengue e chikungunya. Os últimos casos de febre amarela urbana, entretanto, foram registrados em 1942 no Acre.

Surto em Minas Gerais

Área de recomendação para a vacina contra a febre amarela vai da Região Norte ao Sul do País, alerta o Ministério da Saúde
Ministério da Saúde/ Divulgação
Área de recomendação para a vacina contra a febre amarela vai da Região Norte ao Sul do País, alerta o Ministério da Saúde

De acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde de Minas Gerais, divulgado na terça-feira (21), o estado contabiliza 1.027 notificações de febre amarela. Destas, 234 foram confirmadas, 57 foram descartadas e as demais continuam sendo investigadas. O número de mortes confirmadas chegou a 83 e outros 173 óbitos ainda são suspeitos.

A vacina é a forma mais eficaz de se evitar a doença. O imunizante é recomendado para moradores da chamada área de recomendação da vacina e para pessoas que vão viajar para esses lugares.  Especialistas alertam que é preciso tomar a vacina contra a febre amarela até dez dias antes de viajar, para que ela possa fazer efeito.