Tamanho do texto

Sarifa Khatun e o marido não conseguiram ir para um hospital porque não havia transporte no vilarejo em que moram, mas meninas passam bem

Pediatra Aatur Rahman, que cuidou das irmãs em um hospital local, acredita que seja possível separá-las
Caters News Agency/ Daily Mail/ Reprodução
Pediatra Aatur Rahman, que cuidou das irmãs em um hospital local, acredita que seja possível separá-las

Uma mulher na Índia deu à luz duas irmãs unidas pela cabeça. Apesar do parto ter sido feito em casa e sem acompanhamento médico apropriado, as crianças passam bem.

Leia também: Mesmo com escoliose grave, jovem se torna miss nos Estados Unidos

Sarifa Khatun e o marido, Yaku Ali, só ficaram sabendo da condição das filhas após o nascimento, segundo reportagem do site Daily Mail. O pediatra Aatur Rahman, que cuidou das irmãs em um hospital local, acredita que seja possível separá-las, mas só um especialista poderá indicar a complexidade do caso e se cada uma tem o próprio cérebro ou se elas dividem o órgão.

“Nós as encaminhamos para um hospital em Guwahati – cidade na Índia –, onde um cirurgião pediátrico e um neurocirurgião poderão examinar o caso”, explicou Dr. Aatur.

Leia também: Após filho recusar mamar em seu peito, mãe descobre câncer de mama

O parto precisou ser feito em casa porque não havia transporte no vilarejo onde Sarifa e Yaku moram para poder levar a então gestante para o hospital quando a bolsa estourou. “Agora que nossas bebês estão bem, tudo o que queremos é que uma possível cirurgia possa ser feita para que elas possam ter uma vida normal”, disse o pai.

Caso parecido

Anias e Jadon compartilhavam mais de 3,8 cm de diâmetro do cérebro – bem mais que o esperado antes da cirurgia
Facebook/ Nicole McDonald/ Reprodução
Anias e Jadon compartilhavam mais de 3,8 cm de diâmetro do cérebro – bem mais que o esperado antes da cirurgia

Em outubro do ano passado, um caso parecido terminou com uma cirurgia de separação de sucesso.  Depois de 27 horas de um delicado procedimento, os gêmeos Anias e Jadon McDonals, de apenas um ano, puderam ser separados.

Os meninos, que moram nos Estados Unidos, também eram unidos pela cabeça. Durante a cirurgia, os médicos descobriram que os dois compartilhavam mais de 3,8 cm de diâmetro do cérebro. Bem mais que o esperado. Foram necessárias 16 horas só para a separação, e outras 11 horas para reconstrução da região.

“O mês de janeiro foi o primeiro que posso me lembrar sem nenhum urgência médica. E preciso dizer: isso é bom”, escreveu a mãe dos meninos, Nicole McDonald, em sua página no Facebook.

A americana contou também que Jadon está conseguindo rolar sozinho. Já Anias, que teve algumas complicações após a separação, fica mais forte cada dia que passa.  Apesar da boa recuperação de ambos, os dois ainda estão longe de irem para a casa. Segundo Nicole, os médicos acreditam que os irmãos devam ficar no hospital por pelo menos mais um ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.