Tamanho do texto

Com a chegada do outono, é importante fazer a proteção contra pneumonia e coqueluche também; as doses já estão disponíveis nas redes privadas

Campanha contra gripe irá começar em abril; veja se você tem direito à vacina gratuita
Thinkstock Photos
Campanha contra gripe irá começar em abril; veja se você tem direito à vacina gratuita

Com a chegada do outono, a mudança climática, que oscila entre o tempo seco do verão e as geadas e nevoeiros do inverno, as preocupações com doenças que comprometem o aparelho respiratório, como gripe, pneumonia e coqueluche aumentam. Para prevenir essas enfermidades, o Ministério da Saúde irá antecipar a campanha de vacinação este ano.

Leia também: Hemocentro no Rio de Janeiro oferece vacina contra febre amarela a doadores

Para se proteger da gripe as unidades públicas de saúde vão começar a oferecer as vacinas a partir do dia 10 de abril, para funcionários da área, e depois do dia 17 de abril, para o público em geral.

Um dos motivos para adiantar o período de vacinação, que antes começava em maio, foi o aumento significativo no número de casos da gripe e outras doenças da época, como pneumonia e coqueluche . A estimativa é de que 5 a 15% da população seja atingida pela gripe, provocando até 5 milhões de casos graves e cerca de 500.000 mortes todos os anos.

Quem tem direito?

 De acordo com a coordenadora médica de vacinas do Grupo Hermes Pardini e membro da Sociedade Brasileira de Imunizações Melissa Palmieri, a campanha pública contra a gripe pretende atingir cerca de 60 milhões de pessoas. Mas, nem todos estão aptos para receber as doses de imunização gratuitas. É preciso fazer parte do grupo de risco de cada enfermidade para garantir a vacina.

 No caso da gripe, idosos acima de 60 anos, bebês de seis a cinco anos, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias depois do parto), trabalhadores da área da saúde, povos indígenas, pessoas que fazem parte de grupos de doenças crônicas não transmissíveis, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. A novidade é que, este ano, professores também poderão receber a dose.

 Para se proteger contra a coqueluche é necessário ser gestante. E a vacina contra pneumonia só é aplicada em idosos acima de 60 anos.

 Leia também: Câncer raro mata nove pessoas com proteses de silicone

Vacina já está disponível na rede particular

 Quem não está no grupo que tem direito à imunização gratuita pode conseguir as vacinas na rede privada. “Se a pessoa tiver a intenção de vacinar antes do início da campanha pode procurar essa alternativa. Além disso, os adultos e adolescentes, que não estão dentro do público-alvo da campanha para vacinação, mas querem se proteger para não perderem dias de trabalho ou algum compromisso importante, por exemplo, também podem recorrer a essa opção”, explica Melissa.

A médica também chama atenção para a vacina de pneumonia que está circulando nas redes privadas: “as doses que chegaram aos hospitais particulares estão mais atualizadas e protegem contra cerca de 13 tipos de pneumococos, bactérias que podem causar pneumonia, meningite, infecções generalizadas, otite, sinusite, conjuntivite e outros”. Para Melissa, pessoas entre 5 a 50 anos, principalmente quem tem diabetes, problemas cardíacos, crônicos e pulmonares - como asma -, são as mais indicadas para receber a imunização.

A especialista ainda ressalta que é preciso lembrar que após a vacinação ainda são necessários 30 dias para atingir o pico máximo de proteção, o que significa que quanto antes a pessoa se vacinar, melhor. Assim, quando chegar o período de maior circulação do vírus, geralmente entre maio e junho, os níveis de anticorpos estarão adequados.

 Leia também: Acaba estoque de vacinas contra febre amarela em Casimiro de Abreu, no Rio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.