Tamanho do texto

A Opas afirma que maioria das vítimas são homens jovens de comunidades agrícolas na região da América Central e República Dominicana; veja mais

Doença renal misteriosa atinge dezenas de pessoas, mas não é causada por diabetes ou hipertensão, segundo Opas
ADAM
Doença renal misteriosa atinge dezenas de pessoas, mas não é causada por diabetes ou hipertensão, segundo Opas

Uma misteriosa doença renal está atingindo diversas pessoas que vivem em comunidades de pequenos agricultores na América Central, segundo informou a ONU News, nesta segunda-feira (28). E a origem da doença não está relacionada ao diabetes ou à hipertensão, ainda sendo incerta, de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Leia também: Tabagismo mata 200 mil brasileiros por ano; veja riscos e como parar de fumar

A agência da ONU ainda emitiu recomendações para as áreas afetadas, alertando que as pessoas mais propensas a desenvolver a doença renal misteriosa são homens jovens, que vivem em comunidades agrícolas de baixa renda. Para a Opas, a origem da doença está associada a fatores ambientais, tais como poluentes, condições precárias de trabalho e agroquímicos – assim como a baixa ingestão de água.

Os primeiros casos foram relatados há mais de dez anos nos locais atingidos. Em uma nova publicação, chamada “Epidemia de Doença Renal Crônica em Comunidades Agrícolas da América Central”, a agência da ONU tenta estabelecer um plano de vigilância para a enfermidade.

Leia também: Em fenômeno raro, bebê nasce "grávido” do próprio irmão

Ainda de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde, os sistemas de saúde da América Central precisam de mais informações sobre a epidemiologia a fim de responder à situação, também podendo detalhar o que pode ser usado como estratégia contra a misteriosa enfermidade. Uma das propostas lançada pela Opas é de identificar todos os pacientes com risco de insuficiência renal e que possam receber o tratamento adequado para combater os riscos.

Quadro de saúde da região

Um estudo recente revela que mais de 60 mil mortes causadas por complicações renais aconteceram no período entre 1997 e 2012, na América Central , sendo que muitos desses casos só foram diagnosticados em um estágio bem tardio.

Leia também: Grávidas com pré-eclâmpsia podem desenvolver doenças cardíacas, diz pesquisa

Já no período entre 2005 e 2012, somente em El Salvador, as internações por problemas renais aumentaram 50%. Por causa disso, um ano depois, representantes da América Central e da República Dominicana emitiram uma nota sobre o tema, indicando a existência da epidemia, cujas causas são desconhecidas, como um sério e urgente risco à saúde pública.

Ainda nesta segunda-feira, a Opas afirmou que vai continuar acompanhando a situação na região atingida pela doença renal misteriosa , promovendo uma vigilância e mobilização na área, além de promover melhorias no meio ambiente e condições de trabalhos dessas comunidades rurais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.