Tamanho do texto

Organização Mundial da Saúde alerta para aumento no número de casos da doença e recomenda vacinação para turistas com planos de viajar para SP

Diante do aumento no número de casos de febre amarela no estado, São Paulo terá Dia D de vacinação contra a doença
Creative Commons/Flickr
Diante do aumento no número de casos de febre amarela no estado, São Paulo terá Dia D de vacinação contra a doença

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta terça-feira (16) a inclusão de todo o estado de São Paulo na lista de áreas de risco para a febre amarela . Já constavam nesse mapa 12 estados brasileiros: todos os das regiões Norte e Centro-Oeste (bem como o Distrito Federal), o Maranhão e Minas Gerais. Algumas localidades de São Paulo, da Bahia e dos estados do Sul também já eram consideradas áreas de risco.

Em nota, a OMS informou que a decisão de expandir o alerta sobre a situação epidemiológica em São Paulo decorre do "aumento da atividade do vírus da febre amarela observada no estado" no último ano. "Consequentemente, a vacinação passa a ser recomendada para todos os viajantes internacionais que visitarem qualquer área do estado de São Paulo", alertou o secretariado do órgão.

Os turistas com planos de vir a São Paulo são aconselhados a tomar a vacina ao menos dez dias antes da viagem e, durante a estadia em território paulista, devem tomar precauções para evitar picadas de mosquito e ficar atentos aos sintomas da doença. A vacina não é indicada para crianças com menos de nove meses de idade, gestantes e mães durante o período de amamentação.

Leia também: Viajantes devem tomar dose padrão da vacina contra febre amarela, alerta Anvisa

8 dos 11 casos de febre amarela confirmados ocorreram em SP, diz OMS

A OMS destacou em comunicado que o estado de São Paulo concentrou 90% dos casos de macacos infectados com febre amarela entre julho do ano passado e a primeira semana deste mês. Segundo o órgão internacional, foram contabilizados 687 casos suspeitos da doença em humanos residentes em 17 estados do País nesse mesmo período. Dos 11 casos confirmados em laboratórios, oito foram registrados em São Paulo. Quatro pessoas morreram por conta da doença, sendo duas em território paulista, uma no Distrito Federal e uma em Minas Gerais.

Para conter o avanço da doença, o Governo de São Paulo já anunciou a realização de uma campanha de vacinação que pretende imunizar até 7 milhões de pessoas em todo o estado entre os dias 3 e 23 de fevereiro. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse que está prevista a chegada de 500 mil  doses da vacina enviadas pelo Ministério da Saúde a São Paulo ainda nesta terça-feira. O governo federal deve ainda encaminhar mais 500 mil doses em data não informada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.