Tamanho do texto

Prefeitura afirma que campanha foi ampliada para outras áreas e que a Região Norte voltará a receber as doses nos próximos meses, na segunda fase da ação; moradores reclamam por não conseguir receber imunização

Vacina contra febre amarela já foi aplicada em mais da metade dos moradores da Zona Norte de São Paulo, segundo a prefeitura
Rovena Rosa/Agência Brasil
Vacina contra febre amarela já foi aplicada em mais da metade dos moradores da Zona Norte de São Paulo, segundo a prefeitura

Os postos de saúde da zona norte da cidade de São Paulo interromperam a vacinação contra febre amarela. A região, considerada a primeira área de risco de contaminação pela doença na capital paulista, abriga os parques Horto Florestal e da Cantareira, onde foram encontrados os primeiros macacos bugios mortos em razão da febre amarela.

Leia também: Número de mortes por febre amarela sobe para 81, afirma Ministério da Saúde

No momento, nenhuma Unidade Básica de Saúde (UBS) da ZN está aplicando a imunização. A orientação é que os moradores que vão viajar para áreas de risco e precisam da vacina contra febre amarela procurem a vacina no Ambulatório de Especialidades Tucuruvi e na UBS Vila Palmeiras, na Freguesia do Ó.

A população afirma que foi pega de surpresa. “Não consegui me vacinar ainda, e agora, pelo visto, vou ficar sem”, lamenta a aposentada Sueli Dantas, que chegou à UBS do Parque Edu Chaves e não conseguiu a imunização.

Um cartaz colado na parede da UBS Edu Chaves informa que a campanha de vacinação começou na Região Norte e foi ampliada para outras regiões da cidade. “A vacinação nessa unidade será realizada nas fases seguintes da campanha que ocorrerão nos próximos meses”, diz o informativo.

De acordo com a prefeitura, houve uma mudança de estratégia, já que o número de imunizados na zona norte ficou abaixo da meta de 2 milhões de pessoas. No total, foram vacinados 1,3 milhão de pessoas, o correspondente a 58% dos moradores dessa região.

A zona norte foi a primeira região de São Paulo a receber a campanha de vacinação, em setembro do ano passado. Na primeira semana, as unidades de saúde chegaram a vacinar 450 mil pessoas, número que caiu para 45 mil no final de novembro.

Leia também: Entenda em quais casos crianças podem receber a vacina contra febre amarela

Nova estratégia

Nesta semana, a prefeitura informou que iniciará um levantamento, feito de casa em casa, para indicar quem são os moradores que ainda não receberam a vacina e quais os bairros com menor cobertura. “Em seguida, será definida a estratégia para a vacinação do público restante, que deverá começar nos próximos dias de forma escalonada”, informa a nota da administração municipal.

Ampliação

No último dia 25,  o estado de São Paulo iniciou uma campanha que pretente vacinar mais de 50 municípios contra a doença com as doses fracionadas. De acordo com a Secretaria de Saúde da cidade de São Paulo, na capital, o foco serão os moradores de 20 distritos definidos como prioritários: Jabaquara, Cidade Ademar, Sacomã, Cursino, Cidade Líder, Cidade Tiradentes, Guaianases, Iguatemi, José Bonifácio, Parque do Carmo, São Mateus e São Rafael, Capão Redondo, Cidade Dutra, Grajaú, Jardim São Luís, Pedreira, Socorro, Campo Limpo e Vila Andrade.

A meta da prefeitura é vacinar 3,6 milhões de pessoas nessa região até o dia 24 de fevereiro, quando termina a segunda etapa de vacinação.

Leia também: Número de mortes por febre amarela sobe para 12 no Rio de Janeiro

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.