Tamanho do texto

Desde o último boletim epidemiológico, divulgado na semana passada, foram confirmados 33 novos casos; número de mortes permaneceu o mesmo

Vacina contra febre amarela continua sendo aplicada em doses fracionadas em São Paulo, Bahia e Rio de Janeiro
Valdecir Galor/SMCS
Vacina contra febre amarela continua sendo aplicada em doses fracionadas em São Paulo, Bahia e Rio de Janeiro

Em oito meses, o Ministério da Saúde registrou mais de mil casos de febre amarela no País. De acordo com o boletim apresentado pelo órgão, desde julho de 2017 até a última terça-feira (27), foram confirmados 1.131 casos da doença.

Leia também: Pesquisa detecta febre amarela em outro tipo de mosquito em Minas Gerais

Do total de casos, 338 pessoas foram à óbito por conta de febre amarela , com letalidade de 29,8%. No entanto, apesar de a condição ter atingido pessoas de todo o Brasil, as mortes aconteceram apenas nos estados do Sudeste e no Distrito Federal. Minas Gerais foi o que mais registrou falecimentos, sendo 147 óbitos, seguido por São Paulo, com 127, e logo depois Rio de Janeiro, 63.

Em comparação com o mesmo período do ano passado, foi apontada uma alta de 71,3% nos casos da doença, que no período de julho de 2016 a última semana de março de 2017 marcou 660 casos. As mortes também aumentaram: antes eram 210, fazendo com que o momento atual tenha 60% a mais de casos confirmados.

A pasta reitera que, embora os casos do atual período de monitoramento tenham sido superiores à sazonalidade passada, o vírus da febre amarela hoje circula em regiões metropolitanas do país, que possuem maior contingente populacional, atingindo 35,8 milhões de pessoas que moram, inclusive, em áreas que nunca tiveram recomendação de vacina . Já na sazonalidade passada, por exemplo, o surto atingiu uma população de 9,8 milhões de pessoa, o que justifica menor incidência.

No último boletim epidemiológico, divulgado há uma semana , o número de mortes era maior do que o atual. O Ministério da Saúde explica que isso ocorreu porque dois casos foram excluídos da estatística, pois estavam duplicados. Em uma semana, 33 novos casos foram confirmados.

Ampliação da vacina de febre amarela

Campanha de vacinação contra febre amarela na Unidade Básica de Saúde Gleba do Pêssego, em Itaquera, Zona Leste da cidade
Rovena Rosa/Agência Brasil 25.01.2018
Campanha de vacinação contra febre amarela na Unidade Básica de Saúde Gleba do Pêssego, em Itaquera, Zona Leste da cidade

Em coletiva realizada na última semana, o ministério informou que todos os brasileiros deverão se vacinar contra a condição. A imunização será recomendada para todos os estados , devido à alta no número de casos da doença e maior proximidade do vírus nas zonas urbanas.

De acordo com a pasta, a ampliação deverá acontecer até abril de 2019, de forma gradual, conforme acordado com os municípios. São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia continuarão a aplicar as doses fracionadas da vacina contra  febre amarela e ainda devem imunizar 40,9 milhões de pessoas.

Aproximadamente 77 milhões de pessoas deverão receber a vacinação . Atualmente, a maioria dos estados do Nordeste a parte do Sul e Sudeste não são áreas onde a vacina é recomendada, por isso a necessidade de ampliação da proteção.

Os estados da região Sul (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul) deverão incluir a vacina contra febre amarela em suas rotinas a partir do mês de julho. Em 2019, os estados da região Nordeste que ainda não se vacinaram totalmente também adotarão a mesma medida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.