Tamanho do texto

Campanha tem como alvo todas as crianças entre um e menores de 5 anos; mesmo as que já foram vacinadas devem receber doses de reforço; entenda

Campanha de vacinação contra sarampo e poliomielite vai até o dia 31 de agosto
shutterstock
Campanha de vacinação contra sarampo e poliomielite vai até o dia 31 de agosto

Neste sábado (17), os postos de saúde em todo o País estarão abertos para receber o público que deve se vacinar contra sarampo e poliomielite. A ação, chamada de Dia D de Mobilização Nacional contra as doenças, mais de 36 mil unidades estarão dedicadas à imunização.

Leia também: "Vacina é a melhor forma de evitar a volta de doenças eliminadas", diz governo

Todas as crianças com idade entre um ano e menores de 5 anos devem receber as doses contra sarampo e poliomielite, independentemente se já receberam ou não as doses. A campanha segue até dia 31 de agosto.

Isso porque, neste ano, a vacinação será feita de forma indiscriminada, o que significa que mesmo as crianças que já estão com esquema vacinal completo devem ser levadas aos postos de saúde para receber mais um reforço.

No caso da pólio, as que não tomaram nenhuma dose ao longo da vida vão receber a vacina injetável e as que já tomaram uma ou mais doses devem receber a oral.

Para o sarampo, todas as crianças com idade entre um ano e menores de 5 anos vão receber uma dose da Tríplice Viral, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

A meta do governo federal é imunizar 11,2 milhões de crianças e atingir o marco de 95% de cobertura vacinal nessa faixa etária, conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Contudo, até a última terça-feira (14), 84% das crianças que integram o público-alvo ainda não haviam recebido as doses . De acordo com o Ministério da Saúde, 3,6 milhões de vacinas contra sarampo e pólio foram aplicadas em todo o país.

Foram 1,808 milhão de crianças vacinadas contra a poliomielite , o que corresponde à 16,13% do público-alvo, e 1,801 milhão contra o sarampo, ou 16,07% do público-alvo.

Mais de 1.000 casos de sarampo confirmados

Sarampo já foi uma das principais causas de mortalidade infantil no Brasil; vacinação é feita em duas doses
shutterstock
Sarampo já foi uma das principais causas de mortalidade infantil no Brasil; vacinação é feita em duas doses

Atualmente, o país enfrenta dois surtos de sarampo - em Roraima e no Amazonas. Até a última terça-feira (14), foram confirmados 910 casos no Amazonas, onde 5.630 outros casos permanecem em investigação. Já em Roraima, são 296 casos confirmados e 101 em investigação.

Há ainda, de acordo com o Ministério da Saúde, casos isolados e relacionados à importação nos seguintes estados: São Paulo (1), Rio de Janeiro (14), Rio Grande do Sul (13), Rondônia (1) e Pará (2).

Até o momento, foram confirmadas no Brasil seis mortes por sarampo , sendo quatro em Roraima (três em estrangeiros e um em brasileiro) e dois no Amazonas (brasileiros).


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.