Tamanho do texto

Ministério da Saúde divulga boletim que, além de apontar os surtos no Amazonas e Roraima, também mostra casos em outros cinco estados

Casos de sarampo no Brasil aumenta e surtos são identificados no Amazonas e Roraima
shutterstock
Casos de sarampo no Brasil aumenta e surtos são identificados no Amazonas e Roraima

Desde o início do ano até o momento, foram confirmados 1.053 casos de sarampo no Brasil. As informações foram divulgadas pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (1º).

Leia também: Sarampo voltou? Quem deve se vacinar? Especialistas tiram dúvidas sobre a doença

O boletim mostra que o sarampo no Brasil registra surto em dois estados: Amazonas e Roraima e, em ambos os casos, os surtos estão relacionados à importação do vírus. “Isso ficou comprovado pelo genótipo do vírus (D8) que foi identificado, que é o mesmo que circula na Venezuela”, informa a pasta.

A situação está mais alarmante no Amazonas. Até o esta quarta-feira, já haviam sido confirmados 742 casos da doença no estado, sendo que há ainda 4.470 casos que permanecem em investigação. Já o estado de Roraima confirmou 280 casos da doença e 106 continuam sob suspeita.

Além disso, outros cinco estados também registraram casos isolados da condição. São eles: São Paulo (1), Rio de Janeiro (14); Rio Grande do Sul (13); Rondônia (1) e Pará (2). Segundo o Ministério da Saúde, a pasta “permanece acompanhando a situação e prestando o apoio necessário ao Estado. Cabe esclarecer que as medidas de bloqueio de vacinação, mesmo em casos suspeitos, estão sendo realizadas em todos os estados”.

Campanha de vacinação contra sarampo no Brasil

Meta do Ministério da Saúde é imunizar 95% do público-alvo para as vacinas de pólio e sarampo no Brasil
shutterstock
Meta do Ministério da Saúde é imunizar 95% do público-alvo para as vacinas de pólio e sarampo no Brasil

A partir da próxima segunda-feira (6), todas as crianças com idade entre 1 ano e 5 anos incompletos devem ser levadas aos postos de saúde de todo o País para receber as doses contra sarampo e poliomielite .

A campanha de vacinação deste ano é indiscriminada, ou seja, mesmo as crianças que já foram  vacinadas contra sarampo e pólio devem comparecer às unidades para receber mais um reforço, exceto as que se vacinaram nos últimos 30 dias. Isso porque uma dose de reforço será aplicada nesse público infantil, conforme informou o Ministério da Saúde.

No caso da pólio, crianças que não tomaram nenhuma dose ao longo da vida devem receber a VIP. As que já tomaram uma ou mais doses devem receber a VOP. E, para o sarampo, todas devem receber uma dose da Tríplice Viral.

Esse tipo de campanha de reforço já estava prevista no orçamento da pasta, que afirma promover a ação de quatro em quatro anos. Contudo, dessa vez a importância da campanha é ainda maior, tendo em vista a volta da circulação do vírus do sarampo e a ameaça de poliomielite.

Para facilitar o acesso às vacinas, o governo federal também promove o Dia D de mobilização nacional, agendado para o dia 18, um sábado. Na data, mais de 36 mil postos de vacinação estarão abertos em todo o território nacional.

Leia também: Estado de São Paulo adianta campanha de vacinação contra sarampo e poliomielite

Mas a campanha segue até o dia 31 de agosto. A meta do Ministério da Saúde é imunizar 11,2 milhões de crianças e atingir o marco de 95% de cobertura vacinal contra poliomielite e sarampo no Brasil , conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.