Tamanho do texto

Médicos que participaram do edital anterior, mas desistiram da vaga não podem se inscrever de novo; cadastro pode ser feito até sexta-feira (21)

Inscritos no Mais Médicos tinham até terça-feira (18) para comparecer nos municípios escolhidos
Divulgação/ José Cruz/ Agência Brasil
Inscritos no Mais Médicos tinham até terça-feira (18) para comparecer nos municípios escolhidos

Um novo edital do programa Mais Médicos foi aberto nesta quinta-feira (20) para 2.448 vagas em 1.177 municípios e 28 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). Os postos abertos são referentes às localidades não ocupadas na primeira seleção. A nova chamada está disponível para os profissionais com registro no Brasil. Os médicos podem se inscrever até sexta-feira (21) pelo site do programa . Profissionais que participaram do edital anterior e desistiram não podem se inscrever desta vez.

O balanço de convocação dos profissionais dos Mais Médicos divulgado nesta quinta-feira (20), pelo Ministério da Saúde, aponta que 5.846 médicos se apresentaram nas cidades escolhidas ou iniciaram as atividades. O prazo final para os médicos se apresentarem aos municípios terminou na última terça-feira (18) .

Os profissionais que já estão homologados e desistirem dos postos terão as vagas colocadas de volta ao edital do programa . O Ministério da Saúde ressalta que a chamada segue aberta até esta sexta-feira (21) exclusivamente para aqueles que possuem registro no Brasil (CRM).

A pasta atualizará o sistema no fim desta quinta-feira com as vagas disponíveis . Os médicos que decidirem não comparecer mais as atividades devem informar ao município alocado, que comunicará a desistência ao Ministério da Saúde.

Além do novo edital, os profissionais brasileiros formados no exterior terão entre os dias 27 e 28 de dezembro para entrar no sistema e escolher os municípios com vagas disponíveis. Já o prazo para os médicos estrangeiros formados no exterior escolherem as cidades será entre os dias 3 e 4 de janeiro.

Mais Médicos

Médicos cubanos deixaram o programa Mais Médicos por decisão do país caribenho
Luciano Lanes / PMPA
Médicos cubanos deixaram o programa Mais Médicos por decisão do país caribenho

O programa foi criado em 2013, durante o governo de Dilma Rousseff, com o objetivo de ampliar a assistência em regiões com carência de profissionais. As inscrições para o programa foram abertas no dia 20 de novembro, com o objetivo de preencher as vagas que ficaram abertas com a saída dos cubanos.

Leia também: Cubanos que deixaram Brasil após ruptura com Mais Médicos podem ir para o México

A decisão do país caribenho foi tomada após Cuba citar “referências diretas, depreciativas e ameaçadoras” feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro. Cerca de 8,3 mil profissionais atuavam aqui quando a ilha decidiu retirar seu profissionais do Programa Mais Médicos .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.