Tamanho do texto

Pasta informou que todos os postos de trabalhos que eram de cubanos que deixaram o Brasil já foram ocupados por profissionais brasileiros; saiba mais

Ministério da Saúde diz que todas as vagas do Mais Médicos foram ocupadas por brasileiros
Divulgação/ José Cruz/ Agência Brasil
Ministério da Saúde diz que todas as vagas do Mais Médicos foram ocupadas por brasileiros

Todas as vagas que se abriram no Programa Mais Médicos após a saída dos profissionais cubanos do País já foram ocupadas por profissionais brasileiros. A informação é do Ministério da Saúde, em comunicado oficial divulgado na manhã desta quarta-feira (13).

Leia também: Cubanos que deixaram Brasil após ruptura com Mais Médicos podem ir para o México

" Todas as 8.517 vagas do atual edital do programa Mais Médicos , que ficaram abertas após o fim da cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), foram preenchidas por profissionais brasileiros. Nesta quarta-feira (13) os brasileiros formados no exterior, que tiveram as inscrições validadas, selecionaram as 1.397 vagas que ainda estavam abertas no programa", diz o documento.

Agora, o governo publicará as vagas remanescentes em 667 localidades. A lista será divulgada ainda hoje, de acordo com o ministério. Até às 18h de quinta-feira (14), os profissionais poderam selecionar as cidades em que querem trabalhar. 

"Após esta etapa, o Ministério da Saúde irá divulgar, em 19 de fevereiro, a lista completa dos profissionais alocados em cada localidade. Todos os profissionais alocados nesta etapa, que não tiverem o Registro do Ministério da Saúde (RMS), realizarão um módulo de acolhimento, onde terão aulas e passarão por avaliação da coordenação nacional do programa."

A expectativa do governo é que os médicos brasileiros aceitem as condições e se desloquem para as cidades. De acordo com o Ministério da Saúde  "não deve haver chamada para profissionais de outros países para este edital de reposição." No entanto, ainda existe a possibilidade dos profissionais não se interessarem por algumas das vagas, o que reabriria o processo seletivo. Eles terão até o dia 22 para se apresentarem.

Das 8.517 vagas abertas com a saída de  Cuba  do acordo de cooperação que viabilizava a presença de profissionais daquele país no programa, foram realizadas novas chamadas nas quais as vagas foram ocupadas por 7 mil médicos com registro no país até o momento da atualização.

O programa foi criado em 2013, durante o governo de Dilma Rousseff, com o objetivo de ampliar a assistência em regiões com carência de profissionais.

Leia também: Médicos brasileiros poderão realizar consultas e cirurgias pela internet

As inscrições para o programa Mais Médicos foram abertas no dia 20 de novembro, com o objetivo de preencher as vagas que ficaram abertas com a saída dos cubanos. A decisão do país caribenho de sair do país foi tomada após Cuba citar “referências diretas, depreciativas e ameaçadoras” feitas pelo presidente Jair Bolsonaro.