Tamanho do texto

Campanha extraordinária acontecerá na capital paulista entre os dias 10 de junho e 12 de julho; a faixa etária contempla as pessoas que tem a menor chance de ter recebido as duas doses da vacina que protege contra sarampo

Agência Brasil

Profissional da saúde aplica vacina em menino
Rovena Rosa/Agência Brasil 25.01.2018
A vacina tríplice viral protege contra sarampo, caxumba e rubéola

Com 14 casos confirmados de sarampo, a capital paulista terá vacinação extraordinária para a população de 15 a 29 anos entre os dias 10 de junho e 12 de julho. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, oito casos foram importados e seis estão em investigação para definir se foram contraídos no município.

Leia também: Vacinação contra a gripe atingiu 71,6% do grupo-alvo, diz Ministério da Saúde

A prefeitura informou que a definição do público-alvo da vacinação foi feita em conjunto com o governo do estado e o Ministério da Saúde. A faixa etária contempla as pessoas que tem a menor chance de ter recebido as duas doses da vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo , caxumba e rubéola.

Segundo a secretaria, o sarampo é uma doença de notificação obrigatória e imediata. Quando são identificados casos suspeitos, a vigilância epidemiológica do município inicia ações de vacinação para evitar o contágio. O órgão aponta que são adotados procedimentos para evitar a contaminação de outras pessoas conforme os protocolos do Ministério da Saúde . Eles são iniciados assim que se identifica a suspeita da doença, não sendo necessário aguardar a confirmação de sarampo.

Leia também: Hospital aplica anticoncepcional vencido em pacientes na zona leste de SP

Cobertura vacinal

Em 2018, na capital paulista, a campanha de vacinação contra o sarampo, voltada para crianças de 1 ano, ficou acima de 95%, percentual estabelecido pelo Ministério da Saúde. Nos primeiros quatro meses deste ano, o município registrou cobertura total para esta faixa etária. Uma menor adesão, contudo, foi registrada na região oeste, com 74,37%.