Tamanho do texto

Além do recolhimento de produtos, órgão governamental adotou diversos procedimentos em relação a remédios contra pressão alta após suspeitas

Minha Saúde

hipertensão
shutterstock
Hipertensão é uma doença silenciosa que pode acarretar em diversos problemas à saúde se não for tratada corretamente

A Anvisa está adotando novos procedimentos em relação a remédios de hipertensão. A medida foi tomada após a detecção de impurezas, chamadas de nitrosaminas, nos princípios ativos conhecidos como “sartanas”, como a losartana e a valsartana, ingredientes utilizados na fabricação de remédios para o tratamento da doença.

O órgão publicou nota explicando as ações que foram tomadas nesse sentido. Uma delas foi a determinação do recolhimento de lotes específicos do produto , visando a proteção da saúde da população que controla quadros de hipertensão . Além disso, a Anvisa suspendeu a fabricação, importação, distribuição, comercialização e uso dos insumos farmacêuticos ativos com suspeita de contaminação.

Também foi determinada a fiscalização de todas as empresas fabricantes de medicamentos contendo “sartanas” disponíveis no mercado brasileiro. Para o consumidor, a Anvisa preparou uma lista com os números de lotes dos medicamentos que devem ser recolhidos, que pode ser rapidamente consultada, por meio deste link .

Leia também: Quando devo me preocupar com hipertensão? Conheça os indicativos da pressão alta

Baixo risco

Embora o risco seja muito pequeno, estudos apontam que as nitrosaminas têm potencial ou provável risco de causar câncer. Porém, isso é válido para quando há o uso diário dos medicamentos, em sua dose máxima, durante cinco anos seguidos.

Por isso, a Anvisa esclarece que o consumo desses medicamentos não oferece risco imediato para as pessoas que fazem uso deles e que eles são eficazes para o tratamento de pressão alta. No entanto, o órgão recomenda que sejam trocados por outro de igual valor terapêutico.