Tamanho do texto

Brasil e Reino Unido vão ter cooperação em saúde pública por meio do programa Saúde Melhor

Luiz Henrique Mandetta
José Cruz/ABr
Ministro Luiz Henrique Mandetta anunciou parceria do Brasil com o Reino Unido para investimento na saúde pública


O governo do Reino Unido vai liberar até 14 milhões de libras esterlinas (cerca de R$ 75 milhões) para financiar o aprimoramento de ações de saúde pública no Brasil por meio do programa Saúde Melhor, de acordo com informações do Ministério da Saúde. O lançamento global ocorreu em Londres, nesta segunda-feira (24), e contou com a presença do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Os recursos vão ser usados para o fortalecimento de áreas estratégicas da saúde pública , como a atenção primária à saúde, em até quatro anos. Os valores serão utilizados também na incorporação de tecnologias digitais e padrões internacionais de uso de dados, nos ciclos de pesquisa e a inovação para a incorporação de novas tecnologias.

Leia também: Quem é quem no Ministério da Saúde? Conheça os secretários de Mandetta

Segundo Mandetta , o sistema de saúde inglês tem historicamente um nível muito elevado de gestão e organização e a troca será importante para o Brasil.

“Na Atenção primária, eles são muito fortes. Na parte de epidemiologia, em resistência a antibióticos, eles também são muito fortes”, afirmou o ministro. Mandetta citou ainda outras áreas em que a parceria será importante, como genética e hemoderivados. “Será muito importante essa troca de experiência e de saberes com o sistema de saúde do Reino Unido , no qual nosso SUS é inspirado, um sistema público e universal.”

Leia também: Mais Médicos é reforçado em mais de mil municípios

Além do Brasil, também serão beneficiados pelo fundo do governo britânico para saúde pública México, África do Sul, Malásia, Filipinas, Tailândia, Vietnã e Myanmar.