Tamanho do texto

A prefeitura de São Paulo ampliou o grupo de vacinação contra o sarampo

Crianças entre seis meses e um ano também devem ser vacinadas contra o sarampo . A medida, anunciada na quinta-feira (25), é uma determinação da Coordenadoria de Vigilância em Saúde do Município de São Paulo (Covisa), em conjunto com o Ministério da Saúde e o Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) do Estado de São Paulo, para conter o avanço da doença. 

bebê tomando vacina arrow-options
shutterstock
Objetivo de vacinar crianças de seis meses a um ano é para conter o avanço da doença, que tem 363 casos na capital

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a vacina tríplice viral ( sarampo , caxumba e rubéola) só não deve ser aplicada nas crianças dessa faixa etária que tiverem recebido a imunização em uma das mais de mil ações de bloqueio. 

“É importante ressaltar que esta dose administrada na campanha ou no bloqueio não substitui a vacina prevista no calendário nacional de vacinação que estabelece que a imunização contra o sarampo deve acontecer em duas etapas", diz a secretaria municipal.

"A dose da tríplice viral é aplicada aos 12 meses de idade e a tetra viral, que inclui varicela/catapora, precisa ser administrada aos 15 meses de idade. A vacinação de rotina deve ser mantida com intervalo mínimo de 30 dias entre elas”, continua.

A vacinação contra o sarampo  em pessoas de 15 a 29 anos continua . Os integrantes destas duas faixas etárias não precisam apresentar o cartão do SUS para receber a dose da vacina nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), postos volantes ou postos da campanha, como escolas e estações de metrô