Tamanho do texto

O canabidiol pode auxiliar no tratamento de doenças como Alzheimer e o autismo e tem sido cada vez mais procurado, segundo dados da Anvisa

Os pedidos por remédios com canabidiol, uma das 113 substâncias canabinoides presentes na planta  Cannabis sativa , a maconha, testemunharam um crescimento exponencial desde 2015, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Leia também: Demanda por remédios com fitocanabinoides cresce, mas burocracia impede tratamento

Frascos e pílulas de remédios a base de canabidiol arrow-options
shutterstock
O canabidiol pode auxiliar no tratamento de várias doenças, e sua demanda no Brasil cresce exponencialmente desde 2015

A informação, dada pela colunista da  Folha de S. Paulo Joana Cunha no  Painel S.A. , é de que nos últimos quatro anos a demanda pelos remédios feitos com canabidiol cresceu em 700%, acumulando centenas de pedidos de importação na fila de requerimentos à agência.

Essa estimativa foi feita, segundo Joana, por empresas que atuam com a importação dos remédios derivados desse canabinoide para o tratamento de pacientes que sofrem com doenças como Alzheimer, dores crônicas, autismo e epilepsia.

A presidente da Indeov, empresa especializada em acesso à planta no Brasil, relatou à colunista que os seus pacientes somam aproximadamente 250 requerimentos na fila da Anvisa. A GrennCare também reclamou desta situação à  Folha .

De acordo com coluna , a Anvisa declarou que a demanda pelo princípio ativo cresceu repentinamente a partir de 2018, sem que houvesse um incremento nos meios de supri-la. "Com isso, mesmo com as melhorias no processo de trabalho interno nesse período, o prazo de análise [dos pedidos] tem aumentado cada vez mais", completou a agência.

Leia também: Pela primeira vez, Anvisa aprova registro de medicamento com fitocanabinoide

O que é canabidiol?

Segundo artigo online de Peter Grinspoon , professor de medicina da Harvard Medical School, membro do corpo clínico do Massachusetts General Hospital e editor contribuinte do Harvard Medical Blog, o canabidiol não é responsável por produzir euforia ou intoxicação.

Diferentemente do tetraidrocanabinol, o princípio ativo sendo cobrado da Anvisa tem efeitos analgésicos, anti-inflamatórios e quimiopreventivos, de acordo com o site da U.S. National Library of Medicine .

Leia também: Pela primeira vez, EUA aprovam uso de medicamento à base de canabidiol

Os verdadeiros benefícios do canabidiol para os seres humanos, contudo, ainda não foram definitivamente comprovados, segundo Grinspoon. Até o momento, sua eficácia tem se comprovado principalmente em casos de epilepsia infantil severa, e estudos sugerem que ele possa ajudar no tratamento de dores crônicas.