Tamanho do texto

A ocorrência de sarampo em adultos tem sintomas diferentes daqueles vistos nas crianças, dificultando o diagnóstico; veja sequelas e tratamentos

Dentre muitos  mitos sobre o sarampo , está o de que a doença afeta apenas crianças. Mas não se engane: adultos podem, sim, contrair esse vírus, e sofrer consequências graves se não forem tratados corretamente. 

Médico com luva roxa apontando para as costas com manchas vermelhas de uma mulher arrow-options
shutterstock
O sarampo em adultos tem sintomas mais brandos, mas deve ser diagnosticado o mais rápido possível para evitar sequelas

A principal dificuldade no combate ao sarampo em adultos está no diagnóstico da doença. "A forma de apresentação é muito mais branda no adulto, então, muitas vezes, ela não é tão 'clássica' como seria no caso da criança", observa Jean Gorinchteyn, infectologista do Hospital Emílio Ribas.

Os sintomas do sarampo em adultos

Homem gripado assoando o nariz em frente ao computador arrow-options
shutterstock
Os sintomas do sarampo em adultos, nos primeiros dias de contágio, se assemelham ao de uma gripe comum

Mesmo sendo mais branda nos adultos de modo geral, a intensidade dos sintomas do sarampo em pessoas maduras varia de acordo com a imunização de cada um. "O quadro ficam muito mais exuberante para os indivíduos que não tomaram a vacina", pontua Gorinchteyn.

Em ambos, contudo, o padrão é semelhante. Nos primeiros dias de contágio, o quadro se assemelha bastante ao de uma gripe, com ocorrências de tosse, dores de garganta e febre. Os olhos e o nariz ficam congestionados, mas ainda não há manchas no corpo que denunciem o sarampo.

Elas só aparecem, segundo o médico infectologista, numa segunda fase da infecção, que ocorre alguns dias após o contágio. A vermelhidão dos olhos e as manchas no interior das bochechas também começam a aparecer nessa fase.

O ideal, contudo, é que o diagnóstico seja feito ainda na fase inicial da doença. Para isso, o paciente deve se dirigir ao médico assim que suspeitar que possa estar apresentando os sintomas do sarampo citados acima.

Leia também: Ministério da Saúde tira dúvidas sobre transmissão do sarampo

O tratamento do sarampo em adultos

E com o diagnóstico feito, resta reverter o quadro. Mas como? A resposta é bastante simples e direta: para lidar com a doença, tudo o que pode ser feito é um combate aos seus sintomas, ajudando o corpo a se livrar do vírus.

Segundo o profissional, também é feito um isolamento do paciente e um bloqueio vacinal (uma ação de vacinação preventiva) na região em que ele habita para evitar a proliferação do sarampo em adultos e crianças.

As sequelas do sarampo em adultos

Caso os sintomas não sejam diagnosticados e tratados a tempo, o sarampo em adultos pode trazer várias sequelas, os danos derivados de uma infecção que não foi tratada corretamente. Segundo Jean, boa parte delas está ligada ao trato respiratório.

"São as pneumonites, que são favorecedoras de pneumonias", destaca o especialista. No infográfico acima, você pode conferir as principais consequências do não tratamento do sarampo nos adultos ao passar o mouse nos sinais de "+". 

Outras manifestações comuns são as neurológicas, que podem levar a problemas graves como a encefalite, que é a inflamação do cérebro. Uma menos frequente, segundo o infectologista, é a miocardite, uma inflamação do miocárdio, músculo responsável pela contração do coração.

Segundo o Portal Prevenção da Sociedade Brasileira de Cardiologia, esse problema pode provocar arritmias e insuficiência cardíaca. Ela pode ser superada ao longo de poucas semanas ou, dependendo do paciente, pode deixar danos permanentes.

Leia também: Com surto de sarampo em SP, bebês de seis a 12 meses devem tomar a vacina

Portanto, não vale a pena dar mole para o sarampo em adultos , por mais raro que ele seja, uma vez que a doença pode levar à morte. Garanta sempre que sua vacinação esteja em dia e, caso seja infectado, siga os procedimentos recomendados pelo seu médico quando for diagnosticado com a doença para se livrar dela de uma vez por todas.