O estudo CONCLUDE, divulgado nesta quinta-feira (19), mostra qual insulina causa menos hipoglicemia em pacientes com diabetes tipo 2. Segundo a pesquisa, aqueles tratados com a insulina degludeca, comercialmente chamada Tresiba® e disponível há cinco anos no Brasil, mostraram menor taxa de hipoglicemia, principalmente noturna e grave, que pode levar à morte, em comparação à insulina glargina U300.

O estudo CONCLUDE fez uma comparação entre a insulina degludeca e a glargina U300 em pacientes com diabetes tipo 2
shutterstock
O estudo CONCLUDE fez uma comparação entre a insulina degludeca e a glargina U300 em pacientes com diabetes tipo 2

Leia também: Nova insulina ultrarrápida traz benefícios para pessoas com diabetes tipo 2

Os dados foram apresentados durante a 55th Annual Meeting of the European Association for the Study of Diabetes em Barcelona, na Espanha. A pesquisa também indica que a insulina degludeca  trouxe uma redução significativa na hemoglobina glicada (HbA1c), taxa de açúcar no sangue nos últimos três meses, comparada a outra.

Para Rosangela Rea, professora de endocrinologia do SEMPR, ligado ao Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, o mais difícil no diabetes é você conseguir tratar sem causar hipoglicemia . “Então, cada vez que a gente vê um resultado que traz redução, é sempre muito positivo. É uma boa notícia para os nossos pacientes”, comemora. 

Leia também: Como a obesidade pode levar a diabetes do tipo 2

Na análise, os pesquisadores avaliaram 1609 pessoas com diabetes tipo 2 e compararam o desempenho dos dois medicamentos em adultos com a doença não controlada com insulinas basais (de ação lenta) com ou sem antidiabéticos orais. Os dois tratamentos foram administrados uma vez ao dia.

Para chegar aos resultados, o CONCLUDE encerrou uma série de vários ensaios clínicos na última década. Todos foram feitos para testar o desempenho da insulina degludeca frente às outras insulinas basais que estão disponíveis atualmente. Somados aos estudos, foram mais de 20 mil pacientes de todos os continentes. 

Você viu?

Dados do estudo CONCLUDE

O estudo aponta que a insulina degludeca reduziu a taxa de hipoglicemia grave em 80% e a de hipoglicemia noturna em 37% quando comparada à insulina glargina U300 durante o período de manutenção do tratamento. Levando em conta o tempo total do estudo, a redução foi de 62% e 43%, respectivamente, na mesma comparação.

"A hipoglicemia grave é um dos principais motivos de preocupação das pessoas com diabetes, além de ser potencialmente perigosa. Com isso, é vital buscarmos formas de reduzir esses episódios, melhorando a qualidade de vida desses pacientes durante a terapia”, diz Marília Fonseca, gerente médica da Novo Nordisk, empresa global de saúde.

Leia também: Problemas de coração estão mais perto do diabetes do que você pode imaginar

A profissional ainda explica que, com após a apresentação do CONCLUDE, encerra-se um ciclo de mais de dez anos. “Podemos dizer que temos orgulho dos resultados consistentes apresentados com Tresiba®. É gratificante poder fornecer melhores alternativas para o controle do diabetes", ressalta Marília. 

"Esses dados oferecem ainda mais evidências de que a insulina degludeca pode ajudar as pessoas com diabetes tipo 2 a reduzirem seu risco de hipoglicemia sem precisar comprometer os objetivos do tratamento", destaca Mads Krogsgaard Thomsen, vice-presidente e diretor científico executivo da Novo Nordisk.

*A repórter viajou a convite da Novo Nordisk


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários