Tamanho do texto

Pneumologista explica razões para o surgimento da doença que, em 2018, causou mais de dois milhões de mortes em todo o mundo, segundo a OMS

 No ano passado, o câncer causou a morte de 9,6 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). O câncer de pulmão aparece em primeiro lugar tanto no número de óbitos - 1,76 milhão - quanto na questão de incidência - 2,09 milhões. Apesar do tabagismo ser o principal fator de risco, outros fatores podem causar a doença. 

Leia também: Câncer de pulmão é o que mais mata no mundo; entenda a doença e como evitá-la

câncer de pulmão arrow-options
shutterstock
O principal fator de risco para o câncer de pulmão é o tabagismo, mas há outros fatores que podem desencadear a doença

Segundo Elie Fiss, pneumologista e pesquisador sênior do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, o cigarro é o principal responsável pelo  câncer de pulmão . “Cerca de 80 % dos casos estão relacionadas ao tabagismo”, detalha o profissional. Além desse ponto, é importante conhecer as outras razões. Veja:

Tabagismo passivo 

Você pode até não fumar, mas se passa muito tempo perto de fumantes e inalando a fumaça do cigarro, é como se estivesse com um em mãos. “Ainda que não haja quantificação exata de quanto de ingestão contribuiria para o aparecimento da doença, há comprovação e são inúmeros os relatos. Seria como fumar com uma carga menor de tabagismo ”, diz Fiss. 

Leia também: Tabagismo mata 200 mil brasileiros por ano; veja riscos e como parar de fumar

Exposição a agentes químicos (amianto e arsênico) 

O amianto, muito utilizado na fabricação de caixas d’água e telhas, foi banido em muitos países, inclusive no Brasil, em 2017. Além disso, os principais riscos de exposição a arsênico ocorrem em minerações de cobre e, em menor extensão, nas de zinco e de chumbo, fundição e refino de cobre, vinicultura e agricultura em geral (aplicação de pesticidas).  

“Também sabemos que o contato se dá ao trabalhar com revestimento de superfícies, fabricação e aplicação de pesticidas a base de arsênico, e fabricação de ácido acético. Trabalhadores destes setores devem fazer acompanhamento médico rigoroso”, afirma o pneumologista e pesquisador. 

Exposição a metais pesados, como níquel e cromo  

As principais atividades que envolvem cromo são: fabricação e utilização de pigmentos cromados, aço inox, baterias, posições na indústria gráfica, produção de refratários, fundição de zinco e soldagem de aço inox, fabricação de transistores, revestimento de superfícies (cromeação) e ações de pintura com tinta à base de cromo. 

Já em relação ao níquel, a exposição ocorre principalmente nas atividades em que o metal é empregado para produzir aço inoxidável, ligas de metais, fabricação de baterias e  revestimento de superfícies metálicas. 

É importante destacar que essa a exposição a amianto, níquel e cromo são relacionados com a profissão e trazem prejuízos à saúde. “Essas substâncias, quando inaladas por um período prolongada, modifica o DNA e, consequentemente, o comportamento das células, levando a possíveis casos de câncer de pulmão”, pontua o profissional. 

Leia também: De cigarro a narguilé: veja o que os vários tipos de tabagismo fazem com você

Fatores genéticos hereditários ou adquiridos (por exposição a agentes externos) 

Transformações em determinados genes são consideradas importantes no desenvolvimento do câncer de pulmão . "Alterações genéticas podem levar ao crescimento e disseminação de alguns tipos cânceres pulmonares. Nem todos compartilham as mesmas alterações. Por isso, existem, sem dúvida, mudanças em outros genes que ainda não foram descobertas", finaliza Fiss.