Lukas Wojciechowski tem apenas dois anos e, por ter dermatite atópica, não consegue se aproximar de enfeites, brinquedos macios ou itens mais peludos – o que o levou ao título de "alérgico ao Natal". De acordo com o metro.co.uk , neste ano, o garoto poderá estar, pela primeira vez, ao lado de sua família sem sentir dor.

Leia também: Pele vermelha, inflamada e que coça: saiba como lidar com a dermatite atópica

alérgico ao Natal
Reprodução/Metro.co.uk
O pequeno Lukas Wojciechowski tem dois e, por conta da dermatite atópica, foi chamado de "alérgico ao Natal"

O pequeno foi diagnosticado com  dermatite atópica quando tinha apenas duas semanas de vida e, durante muito tempo, apresentava crises sempre que tocava em materiais sintéticos. A doença é crônica, não contagiosa e causa vermelhidão, inflamação e coceira na pele, que fica mais seca e permite a entrada de substâncias alergênicas, como bactéria, fungo, ácaro e poeira.

No Natal do ano passado, Wojciechowski, que vive em Kettering, na Inglaterra, acordou com feridas nas perdas. No início deste ano, a mãe, Shannon Harle, de 22 anos, mudou seu tratamento e, pela primeira vez, o garoto conseguiu participar das atrações natalinas sem ter reações na pele.

Leia também: Conhece a doença mão-pé-boca? Saiba quais os sintomas e os tratamentos 

Ao The Sun , a mãe conta que, com um mês de vida, as pernas do filho estavam cobertas de pele escamosa e áspera, o que o fazia usar calças justas quando exposto à luz solar. O clima frio ainda fez com o que o Natal de 2018 fosse ainda mais difícil. 

Leia também: Mãe relata luta para descobrir síndrome de Prader-Willi na filha: "Não se mexia"

“Enquanto a maioria das crianças de dois anos se empolga com as luzes cintilantes da árvore de Natal , tivemos que mantê-lo afastado, caso sua pele reagisse às decorações", diz Shannon. "A véspera de Natal não foi mágica para ele, pois ele passou a maior parte da noite esfregando as pernas na cama, como de costume", finaliza.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários