A pneumonia misteriosa que está acontecendo na China tem tido desdobramentos preocupantes. Mias uma morte foi confirmada no país, muitos pacientes continuam infectados e a Tailândia identificou um novo caso.

Pneumonia misteriosa na China ainda está sendo investigada
shutterstock
Pneumonia misteriosa na China ainda está sendo investigada


A vítima que chegou a falecer era um chinês de 69 anos, da cidade de Wuhan. A cidade possui 11 milhões de pessoas e foi onde todos os chineses foram infectados, de acordo com a Comissão Municipal de Higiene e Saúde. A primeira vítima de morte  tinha 61 anos. 

A primeira vítima adoeceu no dia 31 de dezembro e piorou cinco dias depois. Pelo menos 41 pacientes foram identificados em Wuhan de acordo com o último balanço. Dentre eles, 12 já receberam alta e cinco estão em estado grave.

Muitas pessoas que foram contaminados trabalhavam em um mercado da cidade especializado em frutos do mar e peixes. No local, já foram feitas operações de desinfecção e análise, mas também foi ordenado o fechamento do espaço.

Sensação de medo

Essa informação preocupa a população, pois 650 pessoas já morreram na China continental e em Hong Kong por conta de uma outra epidemia causada pelo vírus  cepa, em 2002-2003. A doença epidêmica, na época, foi a Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave), que é altamente contagiosa.

O cepa é um novo tipo de coronavírus. Ele faz parte de uma família de vírus muito grande e pode causar desde doenças leves (como gripes e resfriados) quanto mais graves (como a Sars). Entretanto, as autoridades descartaram que se trate de um ressurgimento dele. 

Sobre os casos

De acordo com a Comissão de Saúde de Wuhan, a maioria dos pacientes é do sexo masculino e de idade avançada. 

Leia mais: Sobe para 17 o número de casos de intoxicação por cerveja contaminada

No exterior, foram identificados outros casos dessa pneumonia. Um caso no Japão e dois na Tailândia. Mas segundo as autoridades dos países em questão, essas pessoas foram a Wuhan antes de serem hospitalizadas. 

O segundo caso na Tailândia foi anunciado nesta sexta (17) pelo Ministério da Saúde. Uma viajante chinesa de 74 anos foi hospitalizada após chegar em 13 de janeiro no aeroporto de Bangcoc. 

Outra paciente chinesa foi detectada com a doença em 8 de janeiro após chegar ao mesmo aeroporto, mas já está se recuperando em um hospital da cidade.

Segundo as autoridades sanitárias da Tailândia, não há motivos para pânico, já que não há a disseminação da doença no país.

Festividades do Ano Novo Lunar

A Tailândia teve que intensificar o controle dos seus aeroportos por conta da proximidade das festividades do Ano Novo Lunar , que ocorre no dia 25 de janeiro.

Esse é um período sensível, pois por conta da grande quantidade de pessoas, o ambiente é mais suscetível à possível propagação do vírus. São centenas de milhões de chineses que tomam ônibus, trens e aviões para viajar com a família.

As autoridades de Hong Kong reforçaram suas medidas de detecção da doença nas fronteiras do território, principalmente com detectores de temperatura corporal. Já a China não anunciou restrições no país. 

Leiam mais: Dor de ouvido no verão? Conheça os riscos e saiba como evitar problemas

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), ainda "há muito a se descobrir sobre o novo coronavírus". Ainda sobre a pneumonia misteriosa , completam: "Não sabemos o suficiente para tirar conclusões definitivas sobre seu modo de transmissão".

    Veja Também

      Mostrar mais