Ninguém precisa deixar de mergulhar em praias e piscinas durante o verão por medo da dor de ouvido. Porém, sem nenhum cuidado, essa prática pode favorecer o aparecimento de problemas na região. 

Leia mais: Como passar o verão inteiro livre de micose?

A otite de verão é uma inflamação típica da estação%2C que pode ser crônica ou aguda
Reprodução/Shutterstock
A otite de verão é uma inflamação típica da estação, que pode ser crônica ou aguda

O cuidado redobrado pode impedir a dor de ouvido e demais complicações nessa época. Mas não são só mergulhos que atrapalham, a própria umidade e o calor ajudam na proliferação de bactérias durante a o verão.

Segundo a otorrinologista Maura Neves, da Clínica MedPrimus, a doença que mais devemos prestar atenção é a otite externa,  uma infecção causada por vírus ou bactérias que afeta um ou os dois ouvidos e pode surgir por excesso de umidade.

A otite externa acontece na região do canal do ouvido, no conduto externo auditivo, o que torna a doença mais frequente quando o ouvido está em maior contato com substâncias variadas presentes na água. Ela se diferencia da otite média, que é causada por infecção bacteriana decorrente de quadros de gripe e sinusite, sendo, portanto, mais comum durante o inverno.

Sintomas

As maiores indicações de otite externa é a  dor de ouvido , além de sensação de ouvido tampado, redução da audição, zumbido e até saída de secreção, de acordo com o otorrinologista Fausto Nakandakari, do Hospital Sírio Libanês. 

Ao sentir dor no ouvido, o ideal é procurar um Pronto Atendimento que conte com otorrinologistas de plantão.

Leia mais: Saiba como armazenar corretamente os medicamentos durante o verão

Prevenção

O uso de cotonetes pode agredir a região do ouvido e favorecer infecções%2C como a otite
shutterstock
O uso de cotonetes pode agredir a região do ouvido e favorecer infecções, como a otite


Um dos maiores cuidados a serem tomados, pelo que recomenda a fonoaudióloga Nathalia Zambotti, é o uso de protetores de ouvido para nadar e mergulhar, evitando a entrada de água no conduto externo auditivo. 

Não é indicado o uso das hastes flexíveis (cotonetes) para limpar a região, pois elas podem causar um trauma na pele e criar uma predisposição à infecção. Porém, a limpeza externa é importante para evitar as otites, portanto utilize gaze ou algodão, limpando apenas até a região que os dedos alcançam.

Outra dica é sempre enxugar o canal auditivo com a ponta de uma toalha macia, sem agredir a região. A ideia é evitar a entrada de água nos ouvidos. 

Tratamento

O tratamento das otites externas é geralmente feito com analgésicos para dor e antimicrobianos para a infecção. Também podem ser aplicadas gotas antibióticas no local. E, eventualmente, o uso de anti-inflamatórios e antibióticos orais podem ser descritos pelo médico.

Leia mais: 4 notícias importantes que marcaram a área da saúde no Brasil ao longo de 2019

Qualquer dor de ouvido  deve ser acompanhada por um médico otorrinologista, mas no caso de haver complicações ou perda parcial da audição, é recomendado procurar também uma fonoaudióloga. 

    Veja Também

      Mostrar mais