Depois do balanço da terça-feira (04/02), em que haviam 13 casos suspeitos do coronavírus no Brasil, o número caiu mais uma vez. Segundo dados atualizados do Ministério da Saúde, divulgados nesta tarde, agora são apenas 11 pessoas com suspeita do vírus no País. Isso porque dois casos que estavam em análise em São Paulo foram descartados. 

Leia mais: Coronavírus: médicos apontam possibilidade de transmissão de mãe para feto

Caiu para 11 o número de casos suspeitos de coronavírus no país
shutterstock
Caiu para 11 o número de casos suspeitos de coronavírus no país



A atualização do boletim indica cinco casos suspeitos no Rio Grande do Sul, quatro em São Paulo, um em Santa Catarina e um no Rio de Janeiro.

Ao todo, foram 21 casos já foram descartados no Brasil. Desses, sete deram positivos para o vírus da Influenza B e três positivos para a Influenza A.

Leia mais: Navio de cruzeiro no Japão tem 10 casos confirmados de coronavírus

Quarentena e outras medidas no Brasil

Também nesta quarta, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, voltou a afirmar que deve mandar ao Congresso Nacional, até o início da próxima semana, um texto mais abrangente, com regras gerais de saúde humana - como quarentena - para casos de epidemias e vigilância sanitária.

O ministro ainda detalhou os procedimentos adotados pelo governo para evitar a entrada do coronavírus no Brasil e para repatriação dos 34 brasileiros que se encontram na cidade chinesa de Wuhan , epicentro da crise.

“Estamos hoje sem casos confirmados de coronavírus dentro do país, todos os [casos] suspeitos foram descartados, mas isso não impede que, mais para a frente, tenhamos um. Esperamos que não”, disse Mandetta. “Vamos precisar, sim, de muita parceria com o legislativo de acordo com os cenários”, acrescentou.

O ministro informou que o governo deve ajudar o Paraguai, no surto de coronavírus, com a realização de exames para a detecção do vírus. “Eles têm muito poucos casos e não têm laboratório com o nível de complexidade [necessário] ]para fazer esse tipo de exame. Então, a gente vai receber as amostras, dentro do protocolo de casos suspeitos, somente para fazer o PCR [exame molecular para a detecção do vírus]”, concluiu.

    Veja Também

      Mostrar mais