Confirmado pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (26), o  primeiro paciente diagnosticado no Brasil com covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, recebe acompanhamento em casa e segue em boas condições de saúde. Os detalhes foram divulgados pela Secretaria de Saúde de São Paulo. 

paciente
shutterstock
Primeiro paciente da doença causada por coronavírus no Brasil foi confirmado em São Paulo

O homem de 61 anos esteve a trabalho na região da Lombardia, na Itália, durante o dia 09 ao dia 20 de fevereiro e chegou ao país no dia 21 de fevereiro. Os sintomas do coronavírus começaram dois dias depois com febre, coriza e dor de garganta. 

De acordo com a coordenadora da Coordenadoria de Vigilância e Saúde do município (Covisa), Solange Saboia, o paciente procurou uma unidade de saúde logo após a inclusão da Itália na lista de alerta para coronavírus no Brasil. Apesar disso, o paciente - que pertence ao grupo de risco da doença devido a idade - segue com a saúde estável, sem maiores complicações. 

Ainda segundo a coordenadora, “todos os passos do paciente foram rastreados para potencializar esse acompanhamento, como é feito com todos os casos suspeitos de qualquer doença”, explica. A partir desse ponto, a família do paciente recebeu orientações sobre como auxiliar o tratamento.

Leia mais: Coronavírus no Brasil: outros 20 casos suspeitos são investigados

 “Apenas a esposa tem contato direto. Ela é o que chamamos de ‘pessoa contactante ’, que é com que entramos em contato diariamente para para passar orientações sem causar pânico”, reforça Solange. De acordo com ela, a mulher não manifestou sintomas e seguirá também sob acompanhamento por até 14 dias após a desaparecimento da doença do marido. “Após o fim dos sintomas , a doença não pode mais contagiar outras pessoas”, explica.

O motivo de o paciente receber os cuidados em casa em vez de ficar internado em um hospital, segundo o o secretário executivo da saúde de São Paulo, Alberto Kanamura, é o fato de que o caso clínico não exige. "O critério para internar alguém é a gravidade do estado em saúde e não o risco de contágio. Se cada paciente com sintomas de gripe fossem internatados, os leitos acabariam no primeiro dia", disse.

“Não posso expor a privacidade do paciente para detalhar por onde ele esteve e quais as nossas descobertas, mas posso adiantar que estamos lidando com uma família extremamente colaborativa e muito consciente”, comenta a coordenadora. 

Até o momento, há nove suspeitos da doença causada por coronavírus no município de São Paulo. No estado, o número sobe para 11 casos sob acompanhamento. A Secretaria de Saúde do estado, porém, reforça que há um comitê especializado no combate à doença e que não há motivo para pânico. 

O Ministério da Saúde define como caso suspeito de coronavírus pessoas que apresentam febre e mais um sintoma gripal - como tosse ou falta de ar - e regressarem de viagens recentes à Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália e Malásia, Japão, Singapura, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Tailândia, Vietnã e Camboja, além da China.

    Veja Também

      Mostrar mais