RIO - O Ministério da Saúde adota a partir desta segunda-feira (02) nova metodologia para notificar os casos suspeitos de coronavírus no país. Os dados repassados pelas secretarias estaduais de Saúde serão computados sem rechecagem.

Leia também: São Paulo tem 136 casos suspeitos do novo coronavírus

coronavírus arrow-options
Fernando Frazão/Agência Brasil
coronavírus no brasil

Antes, cada notificação era reanalisada pela equipe da pasta. Surge também uma nova categoria: os casos prováveis. São pessoas que apresentaram sintomas após ter contato com pacientes infectados pelo novo coronavírus .

O objetivo da ação de descentralização, segundo o Ministério, é dar agilidade de resposta à doença. A adoção do novo método fará com que o número de casos suspeitos da doença aumente. Hoje, são 252 casos suspeitos e dois confirmados, ambos em São Paulo.

Entenda tudo sobre o coronavírus

coronavírus arrow-options
iG Arte
Entenda o coronavírus

De acordo com o Ministério da Saúde , ao longo das últimas semanas, os estados foram treinados para a consolidação das notificações dos casos suspeitos do coronavírus.

O que muda

  • Dados das secretarias não serão reavaliados
  • A partir de hoje as secretarias estaduais ficarão responsáveis por fazer a análise dos seus casos. Depois enviarão os dados mais refinados para o Ministério da Saúde sem que precisem ser reanalisados.

Casos prováveis passam a ser computados

O Ministério da Saúde criou uma nova categoria. Passa a ser contabilizados os casos prováveis. São pessoas que tiveram contato com infectados e apresentam sintomas. Esses casos entram no balanço divulgado diariamente pelo ministério.

Capacitação dos laboratórios

O mesmo processo de ampliação da capacidade dos estados foi feito em relação aos laboratórios para realizarem os exames para coronavírus . Inicialmente, o diagnóstico era realizado apenas pela Fiocruz, no Rio de Janeiro.

Leia também: O álcool em gel é eficaz contra o novo coronavírus?

Atualmente, também são considerados laboratórios de referência nacional: Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, o Instituto Evandro Chagas (IEC), no Pará e o Lacen Goiás, em Goiânia. Esses laboratórios já capacitados irão ajudar no esforço nacional de ampliação da capacidade laboratorial dos demais Lacens.

    Veja Também

      Mostrar mais