criança conversando arrow-options
shutterstock
Atividades que envolvem a família podem tirar o interesse do celular e da televisão, alerta pediatra

Com escolas, parques e shoppings fechados, pediatras alertam que a quarentena pode interferir no desenvolvimento físico e emocional de crianças . Para a pediatra Patrícia Rezende, da Prontobaby, o isolamento exige que famílias estabeleçam rotinas, já que estar confinado pode trazer consequências emocionais. 

LEIA MAIS: Covid-19 mata por dia mais que a tuberculese; veja mais

“Situações de stress podem causar irritabilidade, piora da imunidade e dificuldade para dormir, além de ansiedade, depressão e queda no rendimento escolar”, avalia a pediatra. “Por isso, é preciso estabelecer horários fixos para a criança acordar, dormir, fazer as refeições e atividades escolares”.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, há um tempo recomendável para que crianças fiquem expostas à telas. Se ela tem até cinco anos, este período não deve passar de uma hora. Já as crianças com mais de cinco anos devem ficar, no máximo, duas horas diante da tela.

Por causa do confinamento, a pediatra avalia que o momento difícil pode possibilitar aumento no tempo que crianças ficam expostas a este tipo de entretenimento. “Isso também é normal. O importante é ter em mente que essa não pode ser a única atividade da criança durante o dia”, afirma a Dra.Rezende.

Ainda segundo a pediatra, é válido reservar um horário para que as crianças façam alguma atividade física dentro de casa. “Se possível, com participação dos pais e filhos” diz a pediatra. 

Cuidados com os avós

Crianças não costumam desenvolver quadros sérios de Covid-19. Na maioria dos casos, são apenas alguns poucos sintomas que logo passam. Entretanto, a preocupação é grande com os idosos que podem contrair o vírus. Um em cada quatro pacientes da nova doença acima dos 70 anos pode morrer, segundo a Organização Mundial da Saúde.

“Use a tecnologia. Estimule os avós a terem conversas por videoconferência com os netos. Esses momentos de descontração podem tranquilizar as crianças”, afirma a pediatra. “É importante que a conversa sobre a situação atual tenha linguagem simples e adequada para cada idade. Os pais podem transmitir as informações de forma tranquila e lúdica.

Uma alimentação variada também é recomendável para melhorar a imunidade das crianças. Produtos com zinco, selênio, antioxidantes, vitaminas C e E, ômega 3 e probióticos são os melhores

    Veja Também

      Mostrar mais