Itália
shutterstock
Itália espera reduzir a taxa de mortalidade do vírus com novo tratamento; médicos comemoram

A Itália iniciou um novo capítulo no combate da Covid-19 após acabar com a onda elevada de mortes e achatar a curva de contágio. Os médicos esperam que o plasma sanguíneo dos 38 mil pacientes que se curaram da doença até o momento possa ajudar aqueles que ainda estão internados. De acordo com o governo italiano, há 105 mil casos ativos do novo coronavírus (Sars-CoV-2), sendo que 3 mil pacientes estão em condições graves.

LEIA MAIS: 115 vacinas para a Covid-19 estão em desenvolvimento no mundo

“Coisas boas podem sair disso”, disse o Dr.Fausto Baldanti. “Passamos por um surto muito grande, que agora será convertido em uma grande quantidade de doadores potenciais de plasma”. 

Pessoas que se recuperaram da doença, ou testaram positivo mais não apresentaram sintomas, desenvolvem anticorpos no plasma sanguíneo. De acordo com cientistas, os anticorpos podem ser transferidos para outras vítimas da Covid-19, ajudando a neutralizar o vírus e impedir sua reprodução. 

O Dr. Baldanti é virologista da Universidade de Pavia San Matteo, na região da Lombardia, a mais afetada pelo novo coronavírus. Ele espera que o plasma já coletado seja crucial para controlar a infecção de pacientes que estão na UTI.

    Veja Também

      Mostrar mais