Agência Brasil

sangue
shutterstock
Doadores de sangue podem ser considerados uma população sentinela que auxilia pesquisas

O Instituto Estadual de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti (Hemorio), vinculado à Secretaria estadual de Saúde, liberou resultados de uma pesquisa inédita que aponta crescimento na presença de anticorpos entre a população do estado.

Os dados - analisados em parceria com pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) - indicam que 28% dos doadores de sangue que estiveram no instituto nas duas últimas semanas já desenvolveram anticorpos contra a covid-19 . A taxa era de apenas 4% nas primeiras semanas de abril .

Leia mais: 

O estudo, que já contou com 7.286 pessoas, continua sendo realizado e tem como finalidade acompanhar o índice de pessoas infectadas e com anticorpos no estado. O diretor do Hemorio, Luiz Amorim,considera os dados importantes para um mapeamento da evolução da doença e afirma que os testes seguirão até o fim da pandemia.

Segundo ele, “os doadores de sangue podem ser considerados uma população sentinela , que possibilita acompanhar a curva da doença. Surpreendentemente, um número considerável de doadores já tem anticorpos contra o novo coronavírus, o que pode refletir a realidade da população em geral”, afirmou.

A expectativa é que, até o fim de julho , mais 3 mil pessoas participem da pesquisa. Os doadores, escolhidos aleatoriamente, vão ao Hemorio, o instituto responsável por abastecer com sangue as principais emergências , de mais de 200 hospitais, maternidades e unidades de saúde do estado.

Doação

O posto de coleta central, na sede do Hemorio, fica na Rua Frei Caneca, 8, no centro da cidade, e funciona todos os dias, incluindo sábados, domingos e feriados, das 7h às 18h. O doador tem de ter entre 18 e 69 anos e estar saudável.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários