mulher com dor de garganta toma um chá na cama
shutterstock
Principal sintoma a se manifestar é a perda de olfato e paladar


Entre as 89.397 pessoas testadas pela equipe de pesquisa da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), apenas 9% se mostraram assintomáticos . Estudo epidemiológico da universidade sulista sobre a  Covid-19 é considerado o maior do mundo.


As pessoas que realizaram o teste foram escolhidas por sorteio e estavam distribuídas em 133 municípios brasileiros. Foi utilizado o teste rápido Wondfo, que exibe o resultado em 15 minutos. Ele tem taxa de 99% de precisão, mas tem 85% de sensibilidade.

Os resultados da pesquisa foram divulgados nesta quinta-feira (2), em coletiva de imprensa do Ministério da Saúde, que financiou o estudo.

Os sintomas da Covid-19 mais relatados entre os doentes eram, em porcentagem de relatos:

  1. Alteração de olfato e paladar (62,9%)
  2. Dor de cabeça (62,2%)
  3. Febre (56,2%)
  4. Tosse (53,1%)
  5. Dor no corpo (52,3%)
  6. Dor de garganta (35,1%)

Segundo o professor coordenador do estudo, Pedro Hallal, é importante que os sintomas sejam investigados em casos suspeitos de Covid-19. O principal sintoma sentido, de alteração de olfato e paladar, é muito específico e compatível com pouquíssimas outras doenças.

“Claro que esse número [os 9% assintomáticos] tem que ser considerado com o devido cuidado. Nós não estamos querendo dizer que 91% das pessoas com Covid vão precisar de atendimento hospitalar, muito longe disso, mas estamos dizendo que os sintomas da Covid aparecem, e isso é uma boa notícia para tentar identificar as pessoas e impedir a disseminação da doença", explicou.

O estudo afirma ainda que 2.064 pessoas, cerca de 2,3% dos testados, desenvolveram anticorpos.

    Veja Também

      Mostrar mais