Covid-19
ELIZABETH FISCHER, MICROSCOPY UNIT NIH/NIAID
Apesar do nível baixo na população espanhola, anticorpos não são a única arma do corpo humano contra a Covid-19

Apesar das 28 mil mortes causadas pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), a Espanha está longe de ter imunidade coletiva contra o vírus . Segundo um novo estudo publicado pela revista científica The Lancet, apenas 5% da população tem anticorpos contra a Covid-19 .

Leia também:

Logo, conclui-se que 95% da população da Espanha ainda está vulnerável ao vírus. A imunidade coletiva, ou imunidade de rebanho, surge quando boa parcela da população de um país se contamina com um determinado vírus, ao ponto de existirem mais pessoas imunes do que vulneráveis. Dessa forma, a circulação do vírus é suprimida.

O estudo publicado pela Lancet é o maior teste de soroprevalência de qualquer país da Europa, tomando os dados de 61 mil participantes como base. Vale lembrar que nem todos os pacientes que se recuperaram da Covid-19 desenvolvem anticorpos, mas estes também não são os únicos responsáveis pela resposta imunizadora contra a doença no organismo humano.

A chefe do Centro de Doenças Infecciosas de Genebra, Isabella Eckerle, afirma que atingir a imunidade de rebanho não é apenas antiético, mas também inconcebível. “A soroprevalência relativamente baixa da Espanha serve de referência para outros países. No presente, a imunidade de rebanho é difícil de aceitar sem considerar um grande número de mortes”, diz Eckerle, que também é autora da pesquisa.

    Veja Também

      Mostrar mais