Medicamento para HIV
Ludmilla Souza/Agência Brasil
UNAIDS teme que projeções para combate da HIV/Aids não sejam cumpridas


A UNAIDS, órgão de combate à Aids Organização das Nações Unidas (ONU), afirmou que a  pandemia do novo coronavírus pode fazer com que as projeções de combate à Aids sejam atrasadas em cerca de 10 anos.


Em 2016, o órgão criou diversas medidas para conseguir limitar o surgimento do HIV e melhorar o tratamento da doença até o fim deste ano. Devido a Covid-19, a ONU afirmou na última segunda-feira (6) que as metas não serão alcançadas.

O documento divulgado pela UNAIDS afirma que medidas como o lockdown (ou seja, a paralisação total), o atraso na entrega de medicamentos antirretrovirais e a dificuldade maior em acessar serviços de saúde e conseguir realizar testes foram alguns dos fatores impactantes.

Além disso, profissionais de saúde responsáveis para o tratamento do HIV e da Aids precisaram ser deslocados para o combate da Covid-19 . A entrega de preservativos foi interrompida e diversas clínicas para o tratamento da doença fecharam.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS),  73 países correm risco de ficarem sem medicamentos para controle do HIV e 24 estão com estoque baixo.

“Não podemos dar as costas para o HIV enquanto lutamos contra a Covid-19”, alertou o diretor-geral do órgão, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

A diretora executiva a UNAIDS, Winnie Byanyima, afirmou que os planos para esta década eram os de tomar ações decisivas todos os dias para conseguir acabar com a epidemia até 2030. Mesmo assim, a organização afirma que a pandemia do novo coronavírus pode colocar a perder os avanços dos últimos anos.

Em 2019, 38 milhões de pessoas no mundo eram portadoras do HIV, sendo que 1 milhão contraíram a doença em 2018.

    Veja Também

      Mostrar mais