Comprimidos e caixa de remédio
Alexandre Durão/Código 19/Agência O Globo
Cloroquina é distribuída pelo Ministério da Saúde no Brasil

Um estudo publicado nesta quinta-feira (16) na revista Annals of Internal Medicine , veículo acadêmico e científico da Colégio Americano de Médicos, mostrou que o tratamento de hidroxicloroquina para pacientes com quadros leves da Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), não é eficaz.

A pesquisa foi realizada com 491 voluntários não hospitazalidos com sintomas gripais, seguindo o chamado padrão ouro, quando uma parte dos pacientes toma o remédio que está sendo e outra toma o um placebo.

Segundo cientistas da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, não houve diferença significativa entre os pacientes tratados com o anti-malárico e os medicados com um placebo.

Os resultados mostraram que 24% dos voluntários que tomaram hidroxicloroquina seguiram com sintomas da doença por duas semanas. Enquanto isso, 30% dos voluntários do grupo controle também seguiram sintomáticos pelo mesmo período.

"A hidroxicloroquina não reduziu substancialmente a gravidade ou prevalência dos sintomas ao longo do tempo em pessoas não hospitalizadas com Covid-19 em fase inicial", escreveram os cientistas.

Em um artigo, Neil Schluger, da Faculdade de Medicina de Nova York, escreveu que o estudo "fornece fortes evidências de que a hidroxicloroquina não oferece benefício em casos leves da doença".

Por conta da escassez de testes no país, apenas 58% dos participantes foram examinados laboratorialmente para a doença.

    Veja Também

      Mostrar mais