Trump
Reprodução/CNN
Porta-voz do governo Trump voltou a atacar OMS e China durante declaração

O governo do presidente Donald Trump não irá participar da ação global para o desenvolvimento e a distribuição de vacinas contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) da Organização Mundial da Saúde , informou na noite desta terça-feira (1 º) um dos porta-vozes da Casa Branca.

"Os Estados Unidos continuarão a se envolver com seus parceiros internacionais para derrotar o vírus, mas não seremos vinculados a organizações multilaterais influenciados pela corrupta OMS e pela China ", informou o representante à mídia local durante uma coletiva.

Trump anunciou em maio a saída do país da OMS - do qual era o maior contribuinte financeiro - por acusá-la de favorecer a China no início da pandemia de Covid-19. A retirada ocorreu antes mesmo da entidade internacional abrir uma investigação independente sobre a resposta à crise sanitária.

Os EUA são os que mais registram casos e mortes durante a pandemia, com mais de seis milhões de infectados e 184,6 mil vítimas.

Chamada de Covax Facility, a iniciativa liderada pela OMS - e que conta com a cooperação internacional público-privada Gavi Alliance - quer tanto incentivar e acelerar o desenvolvimento de vacinas contra o novo coronavírus, como fazer a distribuição igualitária da imunização para os países pobres do mundo.

Até o momento, o grupo incentiva nove estudos e tem a assinatura de intenção de compromisso de 172 países - incluindo Reino Unido, Japão, Alemanha e Brasil - e organizações e entidades, como a União Europeia. Segundo informações da Covax, mais de 90 nações se inscreveram para receber a ajuda.

Na última segunda-feira (31), a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou que o bloco estava doando 400 mil euros (cerca de R$ 2,5 bilhões) para a ação global, sendo o primeiro gesto financeiro concreto para a iniciativa.

    Veja Também

      Mostrar mais