Vacina
Reprodução
Governo sul-coreano tem sido criticado por ainda não ter um programa de vacinação

Nesta segunda-feira (28), a Agência de Prevenção e Controle de Doenças da Coreia do Sul confirmou a d etecção dos primeiros casos da nova variante do coronavírus , encontrada inicialmente no Reino Unido e que começa a se espalhar por outros países. Com isso, as autoridades prometeram intensificar os esforços pela concretização de um programa de vacinação em massa.

Segundo informações da agência de notícias Reuters, a nova mutação , que é  considerada mais transmissível do que as outras que circulam no planeta, foi identificada em três pessoas que entraram na Coreia do Sul vindas de voos de Londres. Com isso, o país irá prorrogar a proibição de entrada a aviões originários do  Reino Unido até o dia 7 de janeiro, além de exigir que todos os passageiros façam testes de Covid-19 antes do embarque.

Ainda de acordo com a publicação, a novidade chega em um momento que o governo já enfrenta diversas críticas por conta da falta de um melhor planejamento sobre a vacinação . Até agora, as previsões apontam para o início apenas no primeiro trimestre de 2021.

A ideia agora é que as agências reguladoras diminuam o tempo estimado de aprovação de vacinas de 180 para 40 dias, segundo informa o Ministério de Alimentos e Segurança de Medicamentos. Com isso, trabalhadores do sistema de saúde e idosos já poderiam começar a ser vacinados em fevereiro.

Até o momento, a Coreia do Sul  tem mais de 57 mil casos confirmados de coronavírus , além de 819 mortes desde o início da pandemia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários