Idosa sendo auxiliada por enfermeira
shutterstock
Longevidade dos brasileiros reverteu tendência de aumento das últimas décadas

A pandemia da Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), fez a expectativa de vida ao nascer dos brasileiros diminuir pela primeira vez desde 1940, apontam dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o levantamento do órgão, a longevidade no País também teve queda de dois anos.

Com a mudança, as estimativas para os próximos anos mostram que a pandemia vai reverter a tendência observada nas últimas décadas, que passou, pouco a pouco, a registrar maior tempo de vida dos brasileiros.

O cenário depende, no entanto, da capacidade que o governo vai ter de vacinar a população durante o ano de 2021, sendo essa a única forma definitiva de reduzir drasticamente o número de mortes. Caso isso não ocorra, as quedas nesses dois índices pode se estender por mais um ano.

Em 1940, a expectativa de vida do brasileiro ao nascer era de 45,5 anos. Desde então, com a redução da mortalidade infantil e os avanços na medicina, o número vem crescendo consistentemente. Em 1980 chegou a 62,5 e, no ano 2000, a 69,8. Nos últimos vinte anos, os ganhos foram um pouco mais lentos, mas, mesmo assim, nunca se registrou um decréscimo.

De acordo com os últimos números divulgados pelo IBGE, em novembro, a expectativa de vida do brasileiro ao nascer era de 76,6. E poderia ser ainda mais alta se não fosse a violência urbana, que costuma vitimar principalmente homens jovens. Tanto que a expectativa de vida das mulheres era de 80,1 anos, contra 73,1 anos dos homens.


Do ponto de vista demográfico, o impacto é muito grande porque, em geral, as mortes de crianças e jovens têm um impacto muito maior na expectativa de vida média da população do que entre os mais velhos. Embora, os idosos sejam os mais vulneráveis, os mais jovens também estão morrendo, o que piora esse quadro.

Desde o início da pandemia até este domingo (27), o Brasil chegou a 191.139 registros de mortes por Covid-19, de acordo com o Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass). Os casos confirmados de contaminações pelo novo coronavírus são 7.484.285.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários