Jean Gorinchteyn%2C secretário da Saúde do governo de São Paulo
Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde do governo de São Paulo

O secretário de Saúde de São Paulo , Jean Gorinchteyn , atribuiu ao Ministério da Saúde a falta de doses da CoronaVac para idosos e pessoas com comorbidade no estado. O imunizante, desenvolvido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac Biotech , foi aprovado neste domingo pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e  a primeira dose já foi aplicada em uma enfermeira do hospital Emílio Ribas.

"Nós estamos começando a imunização dos profissionais da saúde , mas infelizmente nós poderíamos ter muito mais doses para imunizar idosos e pessoas com comorbidade. Só não temos por causa da condução errada do Ministério da Saúde", disse Gorinchteyn ao iG .

Apesar do estoque reduzido, o secretário comemorou a aprovação pela Anvisa e a imunização da primeira brasileira no mesmo dia em que o imunizante teve seu uso emergencial liberado. "O dia de hoje é um grande marco para a saúde. Nós estamos escrevendo um novo capítulo da história", afirmou.

De acordo com Gorinchteyn, hoje o governo estadual tem 1,5 milhão de doses da CoronaVac disponíveis. A quantidade é suficiente para imunizar 750 mil pessoas, já que cada paciente precisa da aplicação de duas doses com um intervalo de 21 dias, conforme prevê o Plano Estadual de Imunização (PEI).

Você viu?

A princípio, a Secretaria de Saúde prevê aplicar 30 mil doses já na próxima semana. A partir desta segunda-feira (18), as aplicações começarão em um espaço de 1000 m² do Centro de Convenções Rebouças, situado ao lado do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. O local será ocupado por 30 estações de vacinação que funcionarão 12 horas por dia, das 7h às 19h.

"O objetivo inicial é vacinar quem está na linha de frente no combate à Covid-19, que é quem mais precisa", disse o secretário de Saúde.

A estrutura foi montada por iniciativa da Diretoria Clínica e da Superintendência do HC e contará com mais de mil postos de trabalho para turnos de voluntários, entre enfermeiros, auxiliares de enfermagem, médicos e funcionários da área administrativa que atuarão no cadastramento e aplicação da vacina.

Os profissionais da saúde do complexo HC serão convocados em horários determinados para não haver aglomerações . Além disso, para agilizar o processo de vacinação, os voluntários utilizarão os sistemas oficiais de cadastro e controle dos imunizantes aplicados.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários