Ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes
Reprodução/CNN Brasil
Ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes

O ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes , afirmou que o governo investiu em "15 tecnologias diferentes para a produção da vacina no país". Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (26), Pontes disse que, dessas 15, três avançaram nos pré-testes com animais e já estão entrando na fase de testes clínicos em humanos.

Na ocasião, o ministro ressaltou a importância da criação de um imunizante brasileiro. De acordo com ele, uma das vacinas mais avançadas que está em fase de testes foi protocolada ontem na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Com o papel em mãos, Pontes mostrou o registro à imprensa.

O ministro estava com o protocolo registrado na Anvisa e mostrou à imprensa
Reprodução/CNN Brasil
O ministro estava com o protocolo registrado na Anvisa e mostrou à imprensa


Quando foi questionado sobre a ButanVac , imunizante desenvolvido pelo Instituo Butantan, em São Paulo, Pontes disse que "não tem nada a ver uma coisa com a outra". "Nós temos trabalhado com isso por bastante tempo, então eu estava nessa expectativa de anunciar o mais rápido possível essa vacina nacional", acrescentou.

Pontes disse que foi uma "coincidência" que o governador de São Paulo, João Doria, tenha anunciado, na manhã desta sexta-feira (26), a ButanVac e frisou que a vacina do Ministério da Ciência e Tecnologia está protocolada desde ontem. "É bom para o país, a gente precisa ter várias vacinas nacionais".

O imunizante foi registrado formalmente como  Versamune , porém, segundo o ministro, o nome "fantasia" ainda não foi definido. Em relação ao tempo para a vacina começar a ser aplicada na população, o chefe da pasta afirmou que depende da Anvisa. "Assim que aprovarem, começamos o protocolo pra testes com voluntários. A ideia é que o processo seja feito o mais rápido possível".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários