Silmara Cristina Andrade, merendeira do massacre de Suzano, foi a primeira profissional de educação a ser vacinada contra a Covid-19 no Brasil
Divulgação/Governo de São Paulo
Silmara Cristina Andrade, merendeira do massacre de Suzano, foi a primeira profissional de educação a ser vacinada contra a Covid-19 no Brasil

A merendeira Silmara Cristina Andrade, de 51 anos, foi a primeira profissional da educação a ser vacinada contra a Covid-19 no Brasil. Silmara trabalha na escola estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), que sofreu um atentado em 2019 .

O governo do estado de São Paulo escolheu a unidade para ser a sede da primeira vacinação da categoria, que se iniciou no estado neste sábado , como um ato simbólico. A escola foi alvo de um massacre em 13 de março de 2019, quando dois atiradores mataram oito pessoas e cometeram suicídio.

Na ocasião, Silmara, que trabalha na escola há 11 anos, foi uma das funcionárias que ajudou cerca de 50 alunos a se esconderem na cozinha. Hoje, ela foi a escolhida para ser a primeira da categoria a receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19 no estado. "Não esperava que ia ser tão rápido. É muita emoção", disse ela, de acordo com a Folhapress.

"É a primeira escola do Brasil, não só do estado de São Paulo, a iniciar a vacinação dos profissionais de educação na sua cidade", disse o governador João Doria , que estava presente durante a vacinação.

Na primeira etapa de vacinação de profissionais da saúde do estado de São Paulo, 350 mil pessoas com mais de 47 anos receberão o imunizante . Dentre elas, estão secretários, auxiliares de serviços gerais, faxineiras, mediadores, merendeiras, monitores, cuidadores, diretores, vice-diretores, professores de todos os ciclos da educação básica, coordenadores pedagógicos e professores temporários.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários