null
Reprodução/Flickr
undefined

O governador de São Paulo, João Doria, criticou, nesta quarta-feira (14), a gestão do Ministério da Saúde sobre a questão dos repasses de ' kits intubação' aos estados e municípios. Para Doria, foi um "erro gravíssimo" confiscar a produção de empresas nacionais que faziam os insumos do kit intubação.

"Minha posição, como governador de são paulo e também em nome de dos governadores do Brasil, foi um gravíssimo erro do Ministério da Saúde de confiscar a produção de insumos das empresas brasileiras que produzem os medicamentos necessários para a intubação. Gravíssimo erro do Ministerio da Saúde realizado ainda durante a gestao do antecessor de Queiroga", afirmou João Doria.

Ele ainda completou dizendo que "nenhum governo do estado, nehuma prefeitura ou hospital privado pode receber insumos para intubação de empresas brasileiras porque elas receberam o confisco, o sequestro pelo governo federal".

Após o confisco, o governador afirmou que o Ministério da Saúde passou a repassar uma quantidade de insumos muito pequena, quase inexpressiva, aos estados, e que antes do confisco, não havia problemas de fornecimento.

Ainda segundo o governador, já foram encaminhados  nove ofícios ao Ministério da Saúde que alertam para a eminente falta de insumos para o kit intubação.

Você viu?

Mais cedo, foi divulgado que o governo de São Paulo enviou um ofício ao Ministério da Saúde, nesta última terça-feira (13), afirmando que precisa receber, de maneira urgente, medicamentos do  'kit intubação'  em 24 horas para repor estoques e evitar o desabastecimento nos hospitais do estado. A informação foi publicada na manhã desta quarta-feira (14) pela coluna da jornalista Mônica Bergamo, da 'Folha de S. Paulo'.

"A situação de abastecimento de medicamentos, principalmente daqueles que compõem as classes terapêuticas de bloqueadores neuromusculares e sedativos está gravíssima, isto é, na iminência do colapso, considerando os dados de estoque e consumo atualizado pelos hospitais nesses últimos dias", afirmou um documento do secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn.

Governo federal e as doses da Pfizer 

O governador João Doria também alfinetou o anúncio do governo federal, na manhã desta quarta-feira (14),  sobre a antecipação de 2 milhões de doses do imunizante da Pfizer.

"É muito bom ter anúncios, mas é melhor ter vacina. Até agora, eu ouço sempre anúncios, anúncios, expectativas, mas o fato é que a única enxurada de vacinas que tivemos até agora foram as vacinas do Butantan", disse o governador.

E completou: "Se de fato chegarem essas 15 milhões de doses da vacina da Pfizer até junho, será muito bem-vinda. Eles falam muito e entregam pouco", completou Doria.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários