Seis capitais suspenderam aplicação da Coronavac
Divulgação
Seis capitais suspenderam aplicação da Coronavac

Embora a segunda dose da CoronaVac deva ser aplicada até 28 dias após a primeira, em seis capitais não será possível essa dose de reforço. Em Aracaju, Fortaleza, Porto Alegre, Porto Velho, Recife e Rio de Janeiro, a segunda aplicação do imunizante está suspensa.

As diferentes orientações do Ministério da Saúde em relação à utilização das doses da vacina contribuíram para a situação de falta de doses. O ex-titular da pasta, Eduardo Pazuello, recomendou, em fevereiro, que os gestores utilizassem todo o quantitativo de doses.

Dias depois, a orientação do ministério mudou: estados e municípios deveriam reservar uma dose da CoronaVac para garantir a segunda dose. Agora, sob gestão do ministro Queiroga, a recomendação é de que seja feita a reserva, tendo em vista os atrasos no fornecimento de insumos e imunizantes.

Não conseguiu tomar a segunda dose? O que fazer?

Quem não conseguiu aplicar a segunda dose no prazo deve aplicá-la mesmo após prazo recomendado, segundo nota do Ministério da Saúde do último dia 27.

Evite atrasos

A nota diz que é "improvável que intervalos aumentados entre as doses das vacinas ocasionem a redução na eficácia do esquema vacinal", mas ressalta que os atrasos devem ser evitados, já que a proteção devida do vacinado não é assegurada até que ele receba a segunda dose.

Há um limite de prazo até a segunda dose?

No último dia 28, em entrevista coletiva, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse que, mesmo que a pessoa tome a segunda dose 15 dias, 20 dias ou um mês após a data prevista, não há interferência no esquema vacinal.

Você viu?

Não é o ideal

Apesar da recomendação do governo federal, especialistas ressaltam que receber a segunda dose fora do prazo não é ideal. Especialistas ainda não têm uma resposta concreta sobre as consequências para uma pessoa vacinada com a segunda dose após duas semanas da data prevista.

Estoques zerados

Em Aracaju e Porto Alegre, o motivo é a falta de estoque de doses da CoronaVac. Já em Fortaleza, o lote que chegou à capital neste sábado não foi suficiente.

Em Porto Velho, a aplicação da CoronaVac só deverá ser retomada após a chegada de mais doses. Neste sábado, chegaram ao estado de Rondônia 3.200 doses do imunizante. Segundo o governo do estado, no entanto, esse lote não atende quem precisa tomar a segunda dose da vacina, já que o laboratório deve normalizar a entrega das doses destinadas à aplicação da 2ª dose em até 10 dias.

Em Recife, devido à falta de estoque da CoronaVac, a prefeitura está remarcando o agendamento de pessoas que iriam receber o complemento da imunização, no intervalo entre os dias 29 de abril e 9 de maio, para um novo período que será iniciado no dia 10 de maio. No município do Rio de Janeiro, a suspensão para aplicação da segunda dose da CoronaVac foi por dez dias.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários