Estudo aponta que consumo de peixes e vegetais pode ajudar a reduzir gravidade da Covid-19
Flavia Correia
Estudo aponta que consumo de peixes e vegetais pode ajudar a reduzir gravidade da Covid-19

Adeptos de uma alimentação rica em vegetais e peixes podem ter menos risco de serem contaminados de forma grave pela Covid-19. Isso é o que afirma um estudo realizado entre profissionais da saúde da França, da Alemanha, da Itália, da Espanha, dos EUA e do Reino Unido.

De acordo com a pesquisa, publicada na revista científica BMJ Nutrition Prevention & Health, a dieta pode exercer um importante papel na gravidade dos sintomas e no período de duração da doença. Entretanto, os especialistas alertam que se trata apenas de um estudo observacional, não devendo ser estabelecida uma ligação de causa e efeito.

Participaram do estudo mais de 2 mil médicos e enfermeiros, todos com ampla exposição ao novo coronavírus, que responderam a um longo questionário. Os participantes faziam parte de uma rede mundial de profissionais de saúde catalogados na plataforma Survey Healthcare Globus, que é voltada à pesquisa de mercado na área da saúde.

Consumo exagerado de proteína animal aumenta em 400% as chances de gravidade da doença

Aqueles que responderam que tinham uma alimentação à base de plantas ou de peixe apresentavam, respectivamente, 73% e 59% menos probabilidade de infecção moderada a grave por Covid-19, em comparação aos que não seguiam essas mesmas dietas.

Segundo a pesquisa, os entrevistados que informaram fazer uma dieta pobre em hidratos de carbono e com alto teor de proteínas tinham quase quatro vezes maior probabilidade de serem infectados de forma moderada a grave.

Você viu?

Covid-19
Dietas com alto teor de proteína podem aumentar em quatro vezes as chances de desenvolver as formas moderadas a graves da Covid-19. Imagem: Puhhha – Shutterstock

De acordo com reportagem da revista Istoé Dinheiro, a alimentação à base de plantas é rica em nutrientes, vitaminas e minerais, substâncias essenciais para um sistema imunológico saudável. Já o consumo de peixes é uma relevante fonte de vitamina D e ômega-3, ácido graxo com propriedades anti-inflamatórias.

Como foi feita a consulta

A entrevista aconteceu de forma on-line, entre julho e setembro de 2020, com o intuito de colher informações detalhadas sobre os padrões alimentares dos entrevistados, com base num questionário de frequência de vários alimentos ingeridos durante o ano anterior e na situação de gravidade da infecção por Covid-19 que tivessem tido.

Foram recolhidas também informações pessoais, histórico médico, uso de medicamentos e estilo de vida dos participantes. A pesquisa considerou variáveis potencialmente influentes, como idade, etnia, especialidade médica e hábitos, como fumar ou fazer exercício.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários