Presidente Jair Bolsonaro
Reuters/Adriano Machado
Presidente Jair Bolsonaro


Em pronunciamento feito nesta quinta-feira (10), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que pediu ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para que fosse desobrigado o uso de máscaras por pessoas vacinadas contra Covid-19 ou já foram infectadas. No mesmo dia, o país  ultrapassou a marca de 480 mil mortos pela doença. Ao iG Saúde, Dr. José Geraldo Leite, epidemiologista do Grupo Pardini, explicou porque o uso da máscara é ainda essencial.

O médico disse que pessoas vacinadas não devem, pelo menos por enquanto, abrir mão da proteção. "Isso porque a transmissão do Sars-Cov-2 não foi controlada no nosso país e a pessoa vacinada pode acabar sendo infectada e acabar transmitindo para outras pessoas. Da mesma forma, ela pode acabar sendo infectada através de outras pessoas", afirmou Leite.

Segundo o especialista, nós só poderemos abdicar do uso delas quando a doença estiver controlada no país, "o que, a gente espera, aconteça quando a nossa cobertura vacinal seja alta na população", explica.

Pessoas já infectadas também devem continuar fazendo o uso de máscaras, segundo o especialista. "Primeiro porque não há ainda uma certeza de quanto tempo dura a proteção propiciada pela doença. Além disso, nós estamos tendo a circulação de variantes que tem infectado pessoas que já adoeceram anteriormente. O fato de ter tido doença anteriormente não quer dizer que a pessoa não possa transmitir a doença a outros e também não possa se reinfectar", explica Leite.

Por isso, o uso de máscaras provavelmente não será necessário apenas quando nós obtivermos o controle da doença no país.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários