Spray da AstraZeneca previne contágio melhor do que injeção em animais
shutterstock
Spray da AstraZeneca previne contágio melhor do que injeção em animais


A versão da vacina AstraZeneca contra a Covid-19 adaptada para uso por spray nasal obteve sucesso em testes com animais. Agora, o imunizante entrou na primeira fase de testes em humanos, que conta com 54 voluntários. O anúncio foi feito nesta terça-feira (27) por cientistas americanos e britânicos e os resultados foram publicados na revista Science Translational Medicine.

Aplicada em hamsters e macacos, a nova versão da vacina foi mais eficaz que a injeção intramuscular para gerar anticorpos nas mucosas do trato respiratório, o que é essencial para prevenir o contágio.

"A carga viral nas amostras coletadas por cotonetes swab dos hamsters vacinados por via itranasal foram menores em comparação com os hamsters do grupo controle, e nenhum RNA do vírus ou infecção viral foi encontrada em tecido dos pulmões após um desafio direto [inoculação intencional do vírus] ou contato com hamsters infectados", afirmaram os cientistas no estudo.

Você viu?

"Nos macacos rhesus, a vacinação intranasal resultou em menor concentração viral nos swabs e uma redução da carga viral em exame de lavagem broncoalveolar e no trato respiratório inferior", complementaram.

Caso se mostre seguro em humanos, a vacina avança para a próxima fase, com avaliação de imunogenicidade.

Os pesquisadores expuseram as cobaias vacinadas ao vírus com uma determinada mutação encontrada em diversas variantes de preocupação do Sars-CoV-2. Isso significa que a aplicação intranasal da vacina pode ser eficaz também contra cepas do vírus que tenham essa característica.

Essa via de aplicação começou a ser testada porque muitas vacinas contra a  Covid-19 previnem casos graves e mortes, mas não são tão eficazes para prevenir o contágio. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários