Dois navios estão retidos no Rio Amazonas por surto de Covid-19
Reprodução SVS
Dois navios estão retidos no Rio Amazonas por surto de Covid-19

Dois navios estrangeiros estão ancorados no Rio Amazonas, em Macapá (AP), com tripulantes contaminados por coronavírus. Ao todo, são 20 marinheiros diagnosticados por Covid-19 e um deles morreu. Com os surtos, o governo do estado quer limitar o recebimento de novas embarcações.

Um dos navios é o Seabiscuit Imo, que tem bandeira do Panamá e veio da Cidade do Cabo, na África do Sul. A embarcação chegou a Macapá nesta segunda-feira, com 21 tripulantes, dois deles infectados. A informação foi confirmada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ao governo do Amapá.

A tripulação deveria ter passado direto pela capital amapaense em direção ao destino final, o Porto de Trombetas, em Oriximiná, no Pará. No entanto, acabou retida em Macapá após o diagnóstico dos tripulantes. Um deles morreu e o outro foi encaminhado para atendimento médico em um hospital particular da capital.

Os marinheiros do Seabiscuit Imo são de nacionalidade filipina. Todos eles ficarão isolados no navio por, ao menos, 14 dias. Amostras dos infectados foram coletadas para investigações laboratoriais sobre possíveis variantes, de acordo com a Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) do Amapá.

"A partir de agora, estamos avaliando a possibilidade de limitação de fluxo de navios na nossa região, nos nossos portos. Esse é um processo que está em avaliação pelo governo do estado - disse o superintendente da SVS, Dorinaldo Malafaia".

"É uma questão polêmica, pois temos que mediar (com outros órgãos). Envolve regulamento sanitário internacional e a novidade das variantes - acrescentou o superintendente".

Cargueiro ancorado

Um cargueiro que veio de Gana, na África Ocidental, também está retido nas águas de Macapá. O navio Mandarin Dalian, de bandeira da Libéria, está ancorado desde 6 de agosto, quando 12 dos seus 21 tripulantes foram diagnosticados com Covid-19.

Na mesma data, servidores da SVS estiveram na embarcação para coletar amostras e realizar exames em todos os marinheiros. O resultado saiu no dia seguinte: a quantidade de infectados confirmados passou para 17. Depois, mais um tripulante foi diagnosticado e a quantidade de doentes chegou a 18.

Você viu?

As amostras desses pacientes também foram enviadas para o Instituto Evandro Chagas, em Belém (PA), para verificar a contaminação por possíveis variantes.

Navio brasileiro

Em junho, o cargueiro Forte de São José também ficou retido em Macapá. O cargueiro tinha 23 tripulantes, sendo que 19 estavam diagnosticados com Covid-19.

A embarcação vinha de São Luiz (MA) e tinha como destino o Porto de Juriti, no Rio Amazonas, no estado do Pará. Todos os tripulantes eram brasileiros.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários