Fachada do prédio da Anvisa
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Fachada do prédio da Anvisa

Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou, nesta quinta-feira, 26, testes em humanos de uma nova vacina contra a  Covid-19 desenvolvida pelo Senai Cimatec (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) da Bahia em parceria com laboratórios dos Estados Unidos e da Índia.

O estudo contará com 90 voluntários adultos saudáveis, com idades entre 18 e 55 anos. O trabalho está em fase 1 e será conduzido no Hospital da Bahia, em Salvador.

"A vacina será avaliada em um cronograma de dose única e duas doses com intervalos diferentes. O primeiro grupo receberá duas doses com intervalo de 29 dias. Já o segundo grupo receberá duas doses com intervalo de 57 dias. O terceiro grupo de voluntários receberá uma dose única da vacina. Serão avaliados três níveis de dose (1 μg, 5 μg ou 25 μg) no ensaio clínico aprovado", acrescenta a agência reguladora em nota.

A vacina possui a tecnologia de RNA replicon (repRNA) auto amplificante, capaz de codificar a proteína spike do coronavírus causador da Covid-19. Ainda, nos Estados Unidos outros 78 voluntários vão participar desta fase de teste, que verifica a segurança e o regime de dose.

O objetivo desse tipo de imunizante é induzir resposta imune a esta proteína, que é o alvo da maioria das vacinas anti-covid, já que a spike é responsável pela ligação do vírus com receptores nas células humanas.

Esta vacina é projetada pela empresa norte-americana HDT Bio Corp. da indiana Gennova Biopharmaceuticals e tem apoio do MCTI (Ministério de Ciência e Tecnologia) brasileiro, por meio do Senai Cimatec da Bahia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários