'É abominável', diz secretário de SP após Saúde excluir CoronaVac de 3ª dose
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação
'É abominável', diz secretário de SP após Saúde excluir CoronaVac de 3ª dose

O secretário estadual de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, afirmou, nesta quinta-feira (26), que é "abominável" a decisão do  Ministério da Saúde de excluir a CoronaVac da campanha de reforço na vacinação contra a Covid-19. A fala foi dada durante entrevista à 'CNN Brasil'.

"Não existe motivo nenhum, de nenhuma discussão política. Nesse momento, discussão politica em cima de vacina é algo abominável", afirmou o secretário.

O imunizante  CoronaVac é produzido no Brasil pelo Instituto Butantan, que é ligado ao governo de São Paulo, e já foi atacado, diversas vezes, pelo governo federal.

No ano passado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou a desautorizar publicamente a compra da vacina anunciada pelo então ministro da Saúde Eduardo Pazuello.

Além disso, Bolsonaro comemorou quando a  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interrompeu a análise da CoronaVac por causa de um evento adverso — que posteriormente se comprovou não ter relação com o imunizante.

"É óbvio que quando nós falamos de plataformas diferentes de vacina, nos estamos dizendo que quando eu uso técnicas diferentes de vacinação eu aumento a possibilidade de as pessoas poderem responder, o que não quer dizer que ela não seja efetiva. Não tem a justificativa da sua não utilização (da CoronaVac)", disse Jean Gorinchteyn.

Nesta quarta-feira (25), o Ministério da Saúde afirmou que a  aplicação da 3ª dose no país será "preferencialmente" com a vacina da Pfizer, mas também poderá ser feita com outra vacina de vetor viral, como da Janssen ou AstraZeneca.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários