Primeira-minista da Nova Zelândia se pronunciou sobre ataque e pediu maior controle de armas
Reprodução/TVNZ
Primeira-minista da Nova Zelândia se pronunciou sobre ataque e pediu maior controle de armas

O governo da Nova Zelândia confirmou uma morte pela  covid-19 após quase seis meses sem óbitos relacionados à pandemia. A vítima, uma idosa de 90 anos, não conseguiu acesso a um respirador e ao atendimento em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Segundo informações de agências internacionais, ela tinha comorbidades. O óbito é o 27º no país desde o início da pandemia. Nas últimas 24 horas, foram 20 novos casos confirmados, totalizando 3.748.

O país imunizou 25,7% dos cinco milhões de habitantes do país. A expectativa é de que o ciclo vacinal de todos os adultos seja completado até o fim do ano.

Desde agosto, as autoridades ligaram o sinal de alerta no país para as novas infecções - incluindo um duro confinamento de todos os cinco milhões de habitantes, principalmente em Auckland, cidade mais populosa no país.

Há cerca de duas semanas, o ministro Chris Hipkins, encarregado da condução da pandemia, alertou a população para a variante delta.

"A escala do risco de contágio e a velocidade com a qual o vírus se espalha é algo que, mesmo com o melhor preparo do mundo, deixou o nosso sistema de saúde em apuros", disse.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários